Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Seis redes de franquias que naufragaram no Brasil

Empresas que já pareceram grandes investimentos ficaram pelo caminho no país; relembre alguns casos

A segurança em investir em uma marca já famosa, com operações padronizadas e marketing forte, leva muitos empreendedores a optar por alocar seu dinheiro em franquias. Mas, como todos os outros setores da economia, há casos de unidades franqueadas que não deram certo no Brasil e passaram a ser apenas mais um episódio de fracasso na história empresarial do país.

O site de VEJA listou alguns exemplos de franquias que não tiveram tanto sucesso. Confira:

Dunkin’ Donuts
A franquia de rosquinhas e café americana atuou no Brasil por cerca de vinte anos. O resultado, porém, sempre ficou abaixo do esperado pelos franqueados, o que acabou levando a empresa a deixar o país em 2005. Dez anos depois, uma unidade da Dunkin’ Donuts foi aberta em Brasília. Mais ‘abrasileirada’, a franqueadora máster tenta agora reviver os sonhos da companhia americana no país.

Arby’s
Com um cardápio que tinha como carro-chefe o rosbife, a Arby’s abriu algumas lojas em São Paulo em 1992 para tentar repetir o relativo sucesso que a empresa faz nos EUA. Mas a concorrência por esse mercado é cruel, e a companhia americana não conseguiu se estabelecer no país como gostaria. A operação foi encerrada em 1999.

Veja também

TGI Friday’s
O nome pode ser sugestivo: Thanks God It’s Friday (Obrigado Senhor, é Sexta-feira, em português). Mas o desemprenho da companhia no país ficou mais para a ressaca de sábado de manhã. A partir de 1997, o Friday’s abriu seis unidades no Brasil, mas o mau desempenho fez o único franqueado fechar todos as lojas. Neste mês, contudo, a empresa deverá reabrir uma unidade no país.

Radio Shack
A loja de artigos eletrônicos Radio Shack chegou a ter mais de 4.000 unidades nos EUA. Em 2015, a empresa entrou em concordata, mas continuou funcionando por lá. A empresa tentou abrir uma filial no Brasil, mas não se adaptou ao mercado e preferiu sair da operação.

Paleterias
Elas não têm apenas uma franquia, e são muitos os pontos de vendas. Mas a onda de sorvetes ‘gourmet’ com recheio que invadiu o Brasil no verão de 2015 ruiu com a chegada do inverno, quando as vendas congelaram. Duas das maiores franqueadoras, no entanto, Los Paleteros e Los Hermanos, continuam com dezenas de unidades abertas.

Blockbuster
O grupo Moreira Salles, antigo controlador do Unibanco, foi responsável pela chegada da rede de locadoras ao país. A cultura de aluguel de filmes em VHS, DVD e Bluray morreu com o crescimento da distribuição de vídeos por streaming e, com ela, a rede Blockbuster. O operação foi incorporada pelas Lojas Americanas em 2007. Nos EUA, a última loja fechou as portas em 2013.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. wilson silva

    Com o preço que cobrava por uma rosquinha, o Dunkin Donuts ia acabar fechando mesmo… A KFC, embora não mencionada na reportagem, também segue o mesmo caminho, mas por outros motivos: o frango frito que se serve aqui não é o mesmo que se serve lá fora…

    Curtir

  2. José Mauro Lorenicni

    É inacreditável como a franquia Starbooks consegue ainda estar firme com produtos tão ruins. O café é tão ruim ou pior do que o vendido nos Estados Unidos. É para pessoas que não sabem apreciar um bom café. E a franquia continua firme.

    Curtir

  3. Ótimo comentário do Wilson Silva logo abaixo. A qualidade dos produtos do KFC é muitíssimo ruim. Passando pela parte externa dos pedaços de frango (o crocante), o resto é tudo sem gosto. Fora o fato que a parte externa é gordura pura. E sim, já comi em vários KFCs do mundo, então sei exatamente o que estou escrevendo.

    Curtir

  4. A Blockbuster e Arby’s não deram certo lá fora também, não foi só aqui. A Blockbuster até que se segurou bem melhor que nos EUA, com o merge com a Americanas.
    A Radio Shack nem chegou a funcionar, e “Paleterias” é muito genérico, é um produto, não uma franquia.

    Não falaram de Jack in a Box, KFC e Pizza Hut (que deram a volta por cima, a KFC foi e voltou 3 vezes), etc. Matéria péssima.

    Curtir

  5. trazem as franquias e não fiscalizam o manuseio e preparação dos produtos de acordo com os originais, de maneira frequente, para que sejam tão bons.

    Curtir

  6. Alex Cardozo

    Não é nao, o KFC lá fora é muito melhor sim, o tempero é mais forte mas como brasileiro não come comida apimentada “spiced” ou “hot”, muitos só comem frango com arroz e feijão não consegue se livrar de ter uma alimentação limitada. E o Starbucks vende cafes bons sim, os cafés importados que vendem para moer não são amargos como o café brasileiro.

    Curtir