Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Secretário anuncia privatização de Correios e EBC até 2022

Responsável pela pasta de Desestatização, Salim Mattar apresentou um cronograma dos desinvestimentos do governo até o fim da gestão de Bolsonaro

Por Victor Irajá 30 jan 2020, 16h14

O secretário de Desestatização, Salim Mattar, apresentou um cronograma de privatizações para a gestão do presidente Jair Bolsonaro, nesta quarta-feira, 30. Em um evento promovido pelo banco Credit Suisse, Mattar anunciou que, além de Correios e a Telebras, empresas como a Empresa Brasileira de Comunicação, a EBC, estão nos planos de desinvestimento do governo. De acordo com o secretário, a EBC será privatizada apenas em janeiro de 2022, enquanto os Correios têm previsão de deixar de fazer parte do rol de empresas do governo em dezembro do ano que vem.

Na lista não constam empresas como a Petrobras, o Banco do Brasil ou a Caixa, vistas como estratégicas por Bolsonaro. No mesmo evento, o presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, afirmou, nesta quarta-feira, 29, que, apesar da vontade da equipe econômica de privatizar a instituição, Bolsonaro, é contrário à entrega do banco para a iniciativa privada. “Nós da equipe econômica somos a favor, mas isso é decisão política. O presidente já falou que não pretende levar o assunto adiante”, disse ele.

Abaixo, a lista completa anunciada pelo secretário:

2020:

Agosto: ABGF (Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias

Outubro: EMGEA (Empresa Gestora de Ativos)

Dezembro: Casa da Moeda

2021:

Janeiro: Nuclep

Fevereiro: Ceitec

Continua após a publicidade

Abril: Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo)

Ceasaminas (Centrais de Abastecimento de Minas Gerais)

Junho: Serpro

Dataprev

Codesp (Companhia Docas do Estado de São Paulo)

Julho: CTBU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos)

Trensurb (metrô de Porto Alegre)

Telebras

Dezembro: Correios

2022:

Janeiro: EBC (Empresa Brasil de Comunicação)

Continua após a publicidade

Publicidade