Clique e assine com 88% de desconto

Rogério Marinho critica recuo do governo francês em reforma da Previdência

"Exemplo de país entregue às corporações", escreveu o secretário após França suspender o aumento da idade mínima para aposentadoria

Por Da Redação - 12 jan 2020, 19h05

O secretário de Previdência, Rogério Marinho, recorreu ao Twitter neste domingo, 12, para atacar a decisão do presidente da França, Emmanuel Macron, de retirar o aumento da idade mínima necessária para a aposentadoria dos trabalhadores franceses de sua proposta de reforma previdenciária. “Exemplo de país entregue às corporações, e declina paulatinamente para o caos da ingovernabilidade”, tuitou o secretário. “Viva o Brasil”, completou ele.

Alvo de protestos há meses, o texto de reforma da Previdência francês previa o aumento de 62 para 64 anos a idade para se requerir aposentadoria, ponto retirado da proposta no sábado 11, como anunciou o primeiro-ministro Edouard Philippe em carta dirigida aos sindicatos. “O compromisso que ofereço me parece a melhor forma de reformar pacificamente nosso sistema de aposentadorias”, grafa o posicionamento. 

O anúncio foi feito no momento em que dezenas de milhares de pessoas protestaram por toda a França, pela quinta vez em pouco mais de um mês, contra a reforma do sistema previdenciário, uma das promessas eleitorais mais ambiciosas de Macron.

Cerca de 149.000 pessoas participaram de uma passeata em Paris no sábado, segundo dados dos sindicatos, em um dia marcado por confrontos com a polícia e atos de vandalismo perpetrados por manifestantes violentos que quebraram vitrines e saquearam várias lojas.

Publicidade

Subordinado ao Ministério da Economia, Marinho foi responsável pela grafia da reforma da Previdência brasileira, aprovada em outubro, e um dos principais articuladores políticos da proposta.

(Com AFP)

Publicidade