Rio consegue empréstimo de R$ 2 bi e diz que vai pagar servidores

Segundo o governo, o dinheiro vai para o pagamento do 13º salário de 2016 e salários atrasados referentes ao mês de outubro dos servidores públicos

Por Da redação - 20 dez 2017, 20h42

O governo do Rio de Janeiro conseguiu nesta quarta-feira a liberação da primeira parcela do empréstimo de 2,9 bilhões de reais do banco francês BNP Paribas. O montante liberado, de 2 bilhões de reais, possibilitará o pagamento do 13º salário de 2016 e salários atrasados referentes ao mês de outubro dos servidores públicos.

Segundo o governo, 1,231 bilhão de reais do 13º será depositados para 249.927 servidores ativos, inativos e pensionistas que não haviam recebido o abono. Anteriormente, já haviam sido liberados 477 milhões de reais para pagamento de 245.000 funcionários.

Em relação aos salários de outubro de 2017, serão depositados 567,8 milhões para 209.917 funcionários ativos, inativos e pensionistas. Até então, apenas 255.810 servidores haviam recebido o salário, que totalizou 1,015 bilhão de reais.

O governo do Rio de Janeiro ainda informou que todos os pagamento serão efetuados ao longo desta quarta-feira, mesmo após o término do expediente bancário.

Publicidade

Empréstimo

O pagamento dos servidores estava pendente em razão de uma sentença da 57ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro que proibia a utilização das ações da Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgotos) como garantia para o empréstimo.

Na tarde desta quarta-feira, a liminar foi derrubada pelo presidente do Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro, Fernando Antônio Zorzenon da Silva. A decisão do desembargador acolheu petição da Procuradoria Geral do Estado do Rio de Janeiro (PGE-RJ) que pedia que ele ratificasse sua decisão anterior, de outubro, que já suspendia os efeitos da liminar.

Publicidade