Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Receita líquida da Natura no exterior cresce 39,2%

Por Rodrigo Petry

São Paulo – A Natura registrou um crescimento de 39,2%, em moeda local ponderada, da receita líquida no exterior no primeiro trimestre de 2012, ante igual intervalo do ano passado, para R$ 135,6 milhões. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) das operações no exterior ficou negativo em R$ 12,7 milhões, versus Ebitda negativo de R$ 23,5 milhões no mesmo período de 2011. Os dados são de relatório de administração que acompanhou o balanço do primeiro trimestre deste ano.

Apenas nas operações em consolidação (Argentina, Chile e Peru) a receita líquida avançou 43,1%, para R$ 86,1 milhões. O Ebitda ficou positivo em R$ 8,2 milhões, ante R$ 1,3 milhão, também positivo, do mesmo período do ano passado. Alta de 529%. Já a margem Ebitda ficou em 9,5%, que representa um incremento de 7,3 ponto porcentual. Já o resultado líquido foi de lucro de R$ 7,2 milhões, revertendo prejuízo de R$ 1,9 milhão do primeiro trimestre do ano passado. A margem bruta subiu 6,3 pontos porcentuais, para 66,8%.

Nos mercados em consolidação, os maiores investimentos em marketing foram compensados pela diluição das despesas com força de vendas e administrativas, além de maior eficiência logística, afirmou a empresa. “A margem bruta dessas operações foi beneficiada por várias iniciativas relacionadas à gestão de preços e custos, bem como por um câmbio mais favorável”, completou a empresa.

Os mercados em implantação – México e Colômbia – apresentaram a receita líquida 50,4% maior no primeiro trimestre, para R$ 44,7 milhões. O Ebitda ficou negativo em R$ 4 milhões, ante Ebitda negativo de R$ 6,7 milhões do mesmo período do ano passado. Já o prejuízo líquido com essas operações foi de R$ 3,8 milhões, ante resultado negativo de R$ 8,1 milhões do primeiro trimestre de 2011. A margem bruta cresceu 10,6 pontos porcentuais, para 66,9%.

A Natura afirma que a margem bruta no México e Colômbia foi beneficiada por iniciativas relacionadas à gestão de preços e custos, assim como por um câmbio mais favorável. As operações internacionais já representam 10,6% da receita líquida consolidada da Natura, frente a 8,1% de igual intervalo do ano passado.

Serviços

A empresa também informou que recuperou, no primeiro trimestre, o nível de serviços no Brasil, após problemas operacionais registrados em 2011. “Recuperamos gradativamente nosso nível de serviços e ganhamos eficiência comercial e mercadológica, comprometidos no segundo semestre do ano passado pela implementação simultânea de projetos estruturantes que causaram instabilidades em nossa operação”, diz o documento.

No Brasil, a empresa apresentou crescimento de 8,3% da receita líquida do primeiro trimestre, para R$ 1,140 bilhão, expansão porcentual acima da observada ao longo do segundo semestre do ano passado – aumento de 5,5% no terceiro trimestre e de 4,4% no quarto trimestre, ambos sobre o mesmo período do ano imediatamente anterior.

A base de consultoras no Brasil somou 1,179 milhão, alta de 14,1%. Apenas no Brasil o lucro caiu 7,7%, para R$ 165,1 milhões. O Ebitda recuou 1%, para R$ 248,8 milhões, com uma margem de 25%, queda de 2,3 pontos porcentuais.