Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Puxada por bancos e Petrobras, bolsa sobe quase 3%

Última pesquisa eleitoral confirmando favoritismo de Bolsonaro e cenário internacional deram o tom dos negócios nesta terça-feira

O Ibovespa, de referência do mercado acionário brasileiro, fechou em alta de quase 3% nesta terça-feira, puxado pelo avanço das ações de bancos e da Petrobras, mas também beneficiado pelos fortes ganhos em Wall Street, além de expectativas sobre a disputa eleitoral no país.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa avançou 2,83%, fechando a 85.717,56 pontos. O giro financeiro do pregão somou 14,4 bilhões de reais.

Nos Estados Unidos, as bolsas também tiveram acréscimos expressivos, refletindo resultados corporativos acima do esperado por companhias, entre elas o Goldman Sachs. O S&P 500 subiu 2,15%.

“Foi Nova York que ditou o ritmo no mercado no Brasil”, disse o chefe da área de renda variável da corretora de um banco em São Paulo, que pediu para não ter o nome citado, atribuindo o movimento a compras principalmente de investidores locais.

Dados da B3, a bolsa paulista, mostraram saída de estrangeiros nos últimos três pregões da semana passada, no total de 786 milhões de reais. No mercado futuro, esses participantes também elevaram suas posições vendidas em índice.

“Eles já vinham reduzindo bem a posição comprada desde antes do primeiro turno eleitoral. Na semana passada, zeraram e passaram a ficar vendidos, seguindo o forte ajuste global nos mercados acionários”, acrescentou um analista.

Do cenário doméstico, com o início da temporada de balanços agendado para a próxima semana, o panorama político continuou dominando os holofotes e favorecendo apostas de vitória de Jair Bolsonaro no segundo turno no final do mês.

Pesquisa Ibope divulgada na noite da véspera mostrou o candidato do PSL à Presidência com 59% dos votos válidos, enquanto o petista Fernando Haddad teve 41%.