Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Produção industrial cresce 0,3% em novembro

Por Da Redação 5 jan 2012, 09h04

Por Daniela Amorim

Rio – A produção industrial aumentou 0,3% em novembro ante outubro, na série com ajuste sazonal, informou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado veio dentro das expectativas dos analistas ouvidos pelo AE Projeções, que estimaram desde uma queda de 0,20% a uma alta de 1,30%, com mediana de 0,40%.

Na comparação com novembro de 2010, a produção caiu 2,5%. Este foi o maior recuo registrado desde outubro de 2009, quando a taxa caiu 3,1% neste tipo de comparação. Nesse comparativo as estimativas foram todas de queda, num intervalo de -1,70% a -3,00%, com mediana negativa de 2,50% – exatamente o resultado registrado pelo IBGE.

O resultado mostra uma aceleração no ritmo de queda nesta comparação, frente aos resultados de setembro (-1,6% ante setembro de 2010) e de outubro (-2,2% ante outubro de 2010).

No acumulado de janeiro a novembro de 2011, a produção da indústria acumula alta de 0,4%. Em 12 meses até novembro, a alta é de 0,6%.

Com o resultado, a média móvel trimestral do índice registrou uma variação negativa de 0,8% para o trimestre encerrado em novembro.

Bens de capital

No mes de novembro, a produção de bens de capital registrou alta de 1,6% ante outubro, de acordo com o IBGE. Na comparação com novembro de 2010, houve queda de 2,9%. No acumulado do ano até novembro, a produção de bens de capital teve alta de 3,6%. Nos últimos 12 meses, a variação foi de 3,8%.

Continua após a publicidade

Apenas a produção de bens de consumo duráveis registrou queda na passagem de outubro para novembro, segundo o IBGE. A atividade recuou 0,9% no período, após avançar 2,3% na leitura anterior, na mesma base de comparação.

Já a produção de bens de consumo semi e não duráveis (2,2%) e de bens de capital (1,6%) apontaram as expansões mais acentuadas, com o primeiro recuperando parte da perda de 3,9% verificada nos três últimos meses de queda, e o segundo revertendo dois meses seguidos de taxas negativas. Enquanto isso, o segmento de bens intermediários avançou 0,5%, interrompendo o comportamento negativo observado desde junho.

“Em linhas gerais, ainda que se tenha uma recuperação na margem, ainda há um comportamento bastante moderado pela produção industrial, não só pela indústria como um todo como também quando observado o comportamento das categorias de uso”, disse André Macedo, gerente de Análise e Estatísticas Derivadas do IBGE.

Revisão

O Instituto revisou a produção industrial de outubro ante setembro, que passou de -0,6% para -0,7%. A taxa de abril ante março também foi revisada, de -2,4% para -1,4%, e a taxa de março ante fevereiro saiu de 0,9% para 0,0%.

Já a produção de bens de capital em outubro ante setembro foi revista de -1,8% para -2,3%. A taxa de setembro ante agosto saiu de -6,4% para -6,3%. A produção de julho ante junho passou de 1,8% para 1,7%, a de junho ante maio foi revista de -1,0% para -0,9%, enquanto a de abril ante março saiu de -5,1% para -5,2%.

Continua após a publicidade
Publicidade