Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Procon notifica empresas que participam do ‘Black Friday’

Cerca de 500 ofertas já foram retiradas do ar pelo organizador do evento no Brasil, após reclamações de consumidores; sete varejistas receberam aviso

Por Naiara Infante Bertão e Talita Fernandes 23 nov 2012, 16h04

O Procon-SP notificou nesta sexta-feira sete empresas que participam da Black Friday brasileira – versão local para o grande dia de descontos do comércio americano, que acontece logo após o Dia de Ação de Graças e que marca o início da temporada de vendas de fim de ano – por indícios de maquiagem nos descontos. Ao maquiar o valor de um produto, a empresa eleva o valor do mesmo na véspera do evento para que o desconto pareça maior do que é de fato.

Segundo a entidade, houve diversas denúncias de consumidores que se sentiram lesados e que procuraram os canais tradicionais de atendimento, bem como as redes sociais, do órgão. Serão notificadas as redes Extra (lojas física e virtual), Ponto Frio, Submarino, Americanas.com, Walmart, Saraiva e Fast Shop.

Segundo nota do Procon, o organizador do evento no Brasil, o Busca Desconto, também será notificada para que apresente explicações sobre os problemas que o consumidor enfrenta no acesso a alguns links de ofertas e sites de lojas. O Procon-SP deu prazo para as respostas até a próxima sexta-feira.

Leia mais:

‘Black Friday’ exige atenção redobrada do consumidor

‘Black Friday’ deve movimentar R$ 150 milhões no Brasil

Continua após a publicidade

O presidente da Busca Desconto, Pedro Eugênio, lamentou, por meio de sua assessoria de imprensa, a prática de maquiar preços. “É lamentável que algumas lojas ainda insistam em fazer maquiagem de preço. (…) Contamos com a ajuda dos consumidores nesse momento, para que denunciem as ofertas falsas”, disse.

500 ofertas retiradas – O organizador do ‘Black Friday’ no Brasil disse ainda que 500 ofertas já foram retiradas do ar depois que consumidores reclamaram em seu site sobre preços maquiados. Falou ainda que o grupo tem uma equipe focada em verificar a legitimidade dos descontos oferecidos pelas varejistas. “Para isso, o Busca Desconto está trabalhando em parceria com a Shopbot, especializada em comparação de preços”, comentou.

A empresa recomenda ainda que os consumidores continuem denunciando essas irregularidades por meio de seu site na internet, no item “Denuncie”. No Brasil, segundo o Busca Descontos, a edição deste ano da Black Friday tem mais de 300 sites participantes – mais de seis vezes o número de 2011.

Respostas – A Americanas.com e o Submarino, ambos pertencentes à holding B2W, responderam que “apresentarão ao Procon a documentação solicitada no prazo concedido”. As companhias também afirmam que “os preços praticados hoje são promocionais e os descontos oferecidos no Black Friday foram negociados especialmente para o evento”.

A Nova Pontocom informou que os sites Extra e Ponto Frio “não receberam notificação oficial do Procon”. As assessorias de imprensa da Fast Shop e Wal-Mart foram procuradas pela reportagem, mas não responderam até o fechamento da matéria.

Em nota divulgada por meio de sua assessoria de imprensa, a Saraiva informou que “não pode se manifestar a respeito das supostas irregularidades apontadas pelo Procon em relação à promoção Black Friday, pois até o momento ainda não foi notificada oficialmente a respeito do assunto”. A empresa acrescentou ainda que “respeita os direitos de seus consumidores e que atende à legislação aplicável, repudiando qualquer afirmação em sentido contrário”.

(com agência Reuters)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)