Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Preços mundiais dos alimentos têm maior alta desde 1990

Recorde foi batido em fevereiro, afirma ONU. Cresce temor de revoltas sociais

Os preços mundiais dos alimentos atingiram em fevereiro o maior nível da série histórica – iniciada em 1990 -, informou nesta quinta-feira a agência das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

O Índice de Preços de Alimentos da FAO chegou, no mês passado, a marca de 236 pontos, uma alta de 2,2% ante janeiro. O resultado de fevereiro representa o oitavo mês consecutivo de recorde na alta dos preços dos alimentos. O número supera, inclusive, a pontuação registrada em junho de 2008, 213,6 pontos. Naquele ano, o mundo enfrentava a chamada crise alimentar – foi registrada uma alta média de 57% nos preços dos alimentos entre 2007 e 2008.

O indicador é um termômetro da variação mensal dos preços internacionais de uma cesta de commodities agrícolas. Ele é acompanhado de perto por analistas e investidores. O índice da FAO mede as mudanças mensais de preços para uma cesta de alimentos composta por cereais, oleaginosas (castanhas, avelãs, amêndoas), laticínios, carne e açúcar.

Com exceção do açúcar, todos os produtos registraram alta em fevereiro, especialmente os laticínios e os cereais. A alta dos preços dos alimentos, iniciada em meados de 2010, provoca o temor de uma explosão das “revoltas da fome”, como as registradas em 2008 em vários países africanos, no Haiti e nas Filipinas, depois que as cotações dos cereais atingiram níveis históricos.

Condições climáticas adversas – ou muito secas ou excessivamente úmidas – afetaram os principais produtores e exportadores de alimentos ao redor do mundo, incluindo Rússia, Ucrânia, Canadá, Estados Unidos, Alemanha, Austrália, Paquistão, Argentina e países do Sudeste Asiático.

(Com agência France-Presse)