Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Portugal Telecom e Oi avaliam uma possível fusão

Grupo de acionistas aposta na união das empresas nos próximos 3 anos

Por Da Redação 8 jul 2011, 12h07

O maior acionista da Oi já é a Portugal Telecom, com 25,6% de participação direta e indireta

Os acionistas da Portugal Telecom (PT) e da Oi analisam uma possível fusão entre as empresas, a ser implementada nos próximos três anos, de acordo com informações publicadas no jornal português Diário Económico. Essa união entre as operadoras tornou-se possível depois do fim da golden share (ação com direitos especiais) do governo português na operadora daquele país, que aconteceu nesta semana.

Segundo fontes de mercado, a ideia é defendida por alguns acionistas. O Grupo Ongoing, dono do Diário Económico, tem a segunda maior participação no capital da PT, com 10,05%. O maior acionista é a Capital Research and Management, com 10,09%; e o terceiro maior é o Grupo Espírito Santo, com 10,03%. A Oi está em quarto lugar, com 7%.

A PT preferiu não comentar o tema, e a Oi informou que o assunto diz respeito aos acionistas. Apesar de a Oi ser controlada pela Andrade Gutierrez e pela La Fonte, do empresário Carlos Jereissati, seu maior acionista é a PT, que comprou 25,6% de participação direta e indireta na Oi, em março.

Uma possível fusão entre as duas empresas chegou a ser discutida antes de a PT entrar no capital da Oi, mas, com a golden share do governo português, seria impossível. Segundo uma fonte do mercado, sem a golden share, o processo ainda seria complicado. A união dependeria de vencer o discurso nacionalista do governo brasileiro, de um aumento de participação da PT na Oi e de uma mudança no estatuto da PT, que limita a 10% a participação dos acionistas em seu capital.

O jornal português apontou também que vários investidores institucionais estrangeiros estão presentes no capital de ambas empresas porque apostam em uma fusão. No ano passado, a PT vendeu à espanhola Telefonica a participação que mantinha na concorrente Vivo.

(Com Agência Estado)

Continua após a publicidade
Publicidade