Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Por que os soldados estão abandonando Mark Zuckerberg?

Nos últimos meses, quatro renomados cientistas de IA abandonaram a Meta; o êxodo do exército de Zuckerberg começa a suscitar preocupações

Por Luana Zanobia Atualizado em 4 abr 2022, 13h14 - Publicado em 4 abr 2022, 11h53

A Meta Plataforms, empresa de Mark Zuckerberg, que reúne as redes sociais Facebook, Instagram e WhatsApp, está perdendo funcionários estratégicos. Nos últimos meses, quatro importantes cientistas de inteligência artificial abandonaram a Meta, segundo reportagem da rede CNBC. O êxodo do exército de Zuckerberg também começa a suscitar preocupações com o futuro da companhia.

Alvo de diversas crises, a Meta enfrenta a difícil missão de desdobrar o metaverso em uma realidade de negócios, enquanto assiste a sua base de usuários encolher. Pela primeira vez em seus dezoito anos, a empresa de Zuckerberg registrou queda no número de usuários, repercutindo em perda de bilhões de dólares do valor de mercado da empresa. Entre os especialistas e analistas de mercado, há cada vez mais preocupações com a obsessão do empresário pelo metaverso, um projeto que ainda gera bastante  desconfiança, e que deve levar anos para se tornar realidade.

Enfrentando um rival de peso na disputa pelos usuários como o TikTok e distante de verem o metaverso no centro das atenções, funcionários do laboratório de Londres começam a abandonar o barco. De nomes mais relevantes, já bateram em retirada os cientistas de pesquisa Edward Grefenstette, Ahmad Beirami, e Douwe Kiela, e o gerente de engenharia de pesquisa Heinrich Kuttler.

Os cientistas fizeram importantes aprimoramentos nas redes sociais da empresa. O movimento de saídas começou a ficar mais forte nos últimos dois anos. Muitos deles estão deixando Zuckerberg para se juntar à DeepMind, empresa britânica subsidiária do Google, desenvolvedora de sistemas de inteligência artificial. O cofundador do laboratório de inteligência artificial da Meta, Rob Fergus, deixou a companhia em 2020 para construir uma equipe de IA na DeepMind, em Nova York. Heinrich Kuttler também se juntou à equipe da DeepMind. Ahmad Beirami ingressou no Google e Douwe Kiela é agora chefe de pesquisa da startup de inteligência artificial Hugging Face.

A DeepMind foi fundada em 2010, tendo como cofundador o bilionário do LinkedIn, Reid Hoffman. A empresa especializada em desenvolver produtos de software de inteligência artificial foi vendida para o Google em 2014 por 600 milhões de dólares.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.