Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Políticos deverão se aposentar como trabalhadores ‘normais’

Políticos têm regime de aposentadoria parecido com servidores públicos; com a reforma da Previdência, deverão entrar em pacote comum a todos

A reforma da Previdência irá, finalmente, igualar as regras de aposentadoria de trabalhadores e políticos. Com as alterações previstas, todos terão de contribuir por, no mínimo, 25 anos e ter 65 anos de idade para conseguir o benefício.

Os políticos possuem um regime diferenciado para obter a aposentadoria. O Plano de Seguridade Social dos Congressistas é parecido com as regras da Previdência para o servidor público federal. Para esses casos, com 35 anos de contribuição e 60 anos de idade, o aposentado recebe o salário integralmente. Os políticos também não podem acumular benefícios e a aposentadoria é suspensa se o deputado, por exemplo, voltar a exercer qualquer mandato eletivo.

A última reforma, contudo, foi realizada apenas em 1997. Antes disso, a aposentadoria era permitida aos políticos após apenas 8 anos de contribuição (apenas dois mandatos) e 50 anos de idade. De acordo com o Congresso em Foco, mais de 2.000 pessoas ainda recebem salários integrais concedidos antes de 1997. E muitos deles são deputados, ministros ou estã em cargos eletivos e executivos, com a aposentadoria e o salário.

A reforma, porém, não inclui os militares, que continuam com os benefícios anteriores.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. carlos renato campos Campos

    Hahahaha só a veja chapa branca pra vir com uma garapa dessa kkkkkk

    Curtir

  2. simone eloisa villanueva de castro ramos

    Notícia interessante essa, mas com qual piso? vão receber o teto máximo de TODOS os contribuintes brasileiros? Pago pra ver isso acontecer.

    Curtir

  3. Juvenil Neves

    Duvido. Com esse congresso corrupto, que legisla em causa própria. Modificarão a proposta. Se brincar, ainda, aumentarão mais a vantagens que hoje possuem. Utilizam de todas as artimanhas legais e regimentais para continuar ou melhorar o “status quo”.

    Curtir

  4. Nelson Marchetto

    Todo brasileiro nascido, deveria contribuir para o !INSS, de presidente a cidadão comum, isso inclui o judiciário, acabem com os privilégios, todos deveriam aposentar-se em condições iguais. Acham que o congresso votaria isso?

    Curtir

  5. Edison Rudolfo Galitzki

    E militares são “anormais”?
    Esta decisão mais sugeri que deve haver algum perigo com relação a militares. -( se contrariar, o bicho pega), será?

    Curtir

  6. Agora só falta trabalhar como os comuns dos mortais. Creio que 2016 para o Brasil está sendo o 1789 dos franceses com o fim da nobreza preguisosa cheia de privilégios; logo em seguida a França conheceu o extermínio dos nobres : aqui no Brasil será o extermínio dos agentes públicos corruptos e/ou improdutivos pelo bem o pelo mal, não há escapatória para os canalhas e bandidos disfarçados de agentes públicos.

    Curtir

  7. E os militares? Estão morrendo de medo!

    Curtir