Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Polícia de Nova York expulsa manifestantes do Ocupe Wall Street

Por Da Redação 15 nov 2011, 10h46

Por Michelle Nichols

NOVA YORK, 15 de novembro (Reuters) – Policiais com capacetes e portando escudos expulsaram manifestantes do movimento Ocupe Wall Street nesta terça-feira de um parque no distrito financeiro de Nova York, onde estavam acampados desde setembro, desmontando sua cidade de barracas e detendo mais de 70 pessoas.

Autoridades declararam que a ocupação no parque Zuccotti –que se tornou um mar de barracas, lonas e placas de protesto com centenas de manifestantes dormindo no local– era uma ameaça à saúde e à segurança.

O porta-voz da polícia Paul Browne disse que cerca de 70 pessoas foram detidas no parque durante a operação, realizada durante a noite, por desafiar ordens de retirada e muitos outros foram detidos nas proximidades, apesar de a maioria ter saído voluntariamente.

Cerca de uma dúzia de manifestantes haviam se acorrentado entre eles e outros dois se acorrentaram em árvores antes de serem retirados pelas autoridades, disse Browne.

O prefeito da cidade de Nova York, Michael Bloomberg, defendeu a medida para expulsar os manifestantes e destruir sua cidade de barracas.

“Infelizmente, o parque estava se tornando um lugar onde muitas pessoas vieram não para protestar, mas para infringir leis, e em alguns casos, prejudicar os outros. Houve relatos de empresas ameaçadas e reclamações sobre o barulho e as condições sanitárias precárias que têm afetado gravemente a qualidade de vida dos moradores e dos comerciantes nesse bairro próspero”, disse Bloomberg em comunicado.

Continua após a publicidade

Os manifestantes montaram acampamento no parque Zuccotti em 17 de setembro para protestar contra o sistema financeiro que, segundo eles, beneficia as corporações e os ricos. O movimento tem inspirado protestos semelhantes contra a desigualdade econômica em outras cidades, e em alguns casos resultaram em violentos confrontos com a polícia.

O prefeito disse que manfestantes e o público em geral poderão retornar uma vez que o parque estiver limpo, mas terão de cumprir as regras que proíbem ítens como barracas, lonas e sacos de dormir.

“Manifestantes tiveram dois meses para ocupar o parque com barracas e sacos de dormir. Agora terão que ocupar o espaço com o poder de seus argumentos”, disse Bloomberg.

Manifestantes prometeram que a expulsão do parque que se tornou o epicientro do movimento não os deteria e algumas centenas de pessoas se reuníram em outra praça de Manhattan.

A polícia formou barricadas nas ruas ao redor do parque, que foi iluminada com holofotes. A operação começou à 1h (horário local) e os últimos manifestantes haviam sido expulsos aproximadamente às 4h15. Autoridades varreram o parque e retiraram grandes quantidades de entulho.

Policiais usaram auto-falantes para dizer aos manifestantes que eles seriam presos se não deixassem o local. “Eles nos deram cerca de 20 minutos para arrumar nossas coisas”, disse o manifestante Sam Wood enquanto o despejo estava acontecendo. “É um processo doloroso de se assistir, eles estão fazendo uma varredura no parque.”

Browne disse que a cidade e os donos do parque, a corporação imobiliária Brookfield Office Properties, distribuiu panfletos aos manifestantes dizendo que o parque seria limpado pouco depois da 1h.

Continua após a publicidade
Publicidade