Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Parlamento rejeita emendas da oposição ao Orçamento

Proposta do governo é de cortes de gastos públicos na ordem de 27 bilhões de euros este ano para baixar déficit

Por Da Redação 25 abr 2012, 08h31

O clima esquentou na Espanha nesta quarta-feira. O Congresso dos Deputados – órgão do Legislativo que representa o povo – rejeitou as dez emendas ao Orçamento geral de 2012 apresentadas pela oposição. Foram 156 votos à favor e 182 contra. O Orçamento prevê um corte de 27 bilhões de euros nos gastos públicos e segue em tramitação parlamentar com apresentação parcial de emendas.

O primeiro-ministro, o conservador Mariano Rajoy, afirmou que as medidas, ainda que duras e impopulares, levarão o país à retomada de crescimento. Já o ministro da Fazenda espanhol, Cristóbal Montoro, destacou que o Orçamento é adequado aos temos de recessão e que o governo anterior – presidido pelo socialista José Luis Rodríguez Zapatero, enganou os espanhois com relação às contas públicas.

O déficit público da Espanha chegou a 8,5% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2011, acima dos 6% esperados. As contas de 2012 foram realizadas com um objetivo de baixar esse déficit público em 5,3% este ano e 3% no ano que vem.

No primeiro trimestre de 2012 a economia espanhola caiu 0,4% e, com isso, entrou em recessão técnica (dois trimestre seguidos de crescimento negativo). A Grã-Bretanha também anunciou sua entrada novamente em período recessivo e a Alemanha afirmou que vai crescer menos este ano.

(com agência EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade