Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

O ‘Efeito Palocci’ que pode levar mensageiro de Lula ao posto de ministro

Ex-ministro da Saúde, o deputado federal Alexandre Padilha tem assumido protagonismo na missão de propagar ideias de Lula no mercado financeiro

Por Felipe Mendes
Atualizado em 29 abr 2022, 15h36 - Publicado em 28 abr 2022, 11h25

Enquanto vê o presidente Jair Bolsonaro (PL) crescer nas pesquisas de intenção de votos para as eleições deste ano, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) intensifica a disseminação de mensagens-chave no mercado financeiro. Na última semana, o deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP) discursou em um evento da XP nos Estados Unidos, levando uma mensagem de que o partido, caso eleito, não fará loucuras na política monetária nem agirá indiferente aos interesses do mercado. Os investidores e empresários presentes no evento gostaram do que ouviram, tanto que Padilha saiu de lá com um novo convite: o ex-ministro da Saúde vai se reunir com investidores nesta sexta-feira, 29, em uma unidade do Itaú BBA, na Avenida Brigadeiro Faria Lima, em São Paulo.

No evento em solo americano, Padilha admitiu que se encontrou com Lula antes da viagem e passou a mensagem de que um eventual governo do ex-presidente terá um ministro da Fazenda com autonomia. Ex-ministro das Relações Institucionais no governo Lula e ministro da Saúde no governo Dilma Rousseff, Padilha, ao falar para o mercado, passa uma espécie de sensação familiar. “Ficou um déjà-vu do que aconteceu com o Palocci, em 2002. Ele disse que o presidente tem dito que quer alguém que tenha sensibilidade política, alguém que já teve contato com a máquina pública, para comandar a economia”, disse uma fonte presente na confraternização. Antonio Palocci, que foi ministro da Fazenda de Lula entre 2003 e 2006, ganhou a condição durante a campanha presidencial, quando exerceu um papel de articulação política e com o mercado financeiro.

“Ele disse que o Lula não chegará dando ‘cavalo de pau’ na condução da economia, que o ex-presidente tem dito que quer um perfil de equipe parecido com o de 2003, mas que os rostos serão diferentes. Ele deve dar espaço para gente nova”, reiterou essa fonte. Padilha, segundo o mercado, pode estar ganhando pontos na corrida para ser ministro da Fazenda em um eventual governo de Lula, mas é nítido que tal escolha ainda está longe de ser tomada, até porque a vantagem do pré-candidato petista em relação a Bolsonaro nas pesquisas tem sido diluída nas últimas semanas.

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.