Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

NY fecha em alta; Nasdaq e S&P zeram perdas de ontem

Por Gustavo Nicoletta

Nova York – Os principais índices do mercado de ações dos EUA fecharam em alta, impulsionados pela divulgação de um declínio inesperado nos pedidos de auxílio-desemprego do país e por um aumento maior que o previsto na receita da Cisco Systems durante seu quarto trimestre fiscal, algo interpretado pelo mercado como um sinal positivo sobre a economia norte-americana. A volatilidade, no entanto, segue forte.

O Dow Jones subiu 423,37 pontos, ou 3,95%, para 11.143,31 pontos, devolvendo boa parte do declínio de 520 pontos registrado na quarta-feira. A sessão de hoje marcou a quarta vez consecutiva que o índice encerrou o pregão com uma oscilação superior a 400 pontos, algo que nunca havia sido registrado antes.

O Nasdaq avançou 111,63 pontos, ou 4,69%, para 2.492,68 pontos. O S&P 500 teve ganho de 51,88 pontos, ou 4,63%, para 1.172,64 pontos. Os dois índices conseguiram apagar o declínio registrado na quarta-feira.

“É ótimo termos dias de alta como esse, mas acho que continuaremos num período volátil, com grandes oscilações”, disse Margaret Patel, gerente de portfólio da Wells Capital Management. Segundo ela, os mercados continuarão voláteis “até podermos ver que a economia dos EUA pelo menos se estabilizou e segue em direção a um modesto crescimento e até nos sentirmos mais confiantes na capacidade da Europa para evitar uma crise severa”.

Para Channing Smith, gerente de carteiras de investimento da Capital Advisors Growth Fund, “boa parte do movimento foi baseado em emoções. É difícil prever para onde essas emoções vão. O ano de 2008 ainda está na memória das pessoas e muitos investidores prefeririam simplesmente desaparecer até que surgissem mais certezas. No momento, a incerteza mais evidente está na Europa”.

Hoje, no entanto, as bolsas europeias subiram em meio a notícias de que a Itália pode proibir a prática de “naked short selling” – quando um participante do mercado vende a descoberto um ativo financeiro sem antes ter tomado emprestado esse ativo ou sem ter garantias de que poderá realizar tal empréstimo. Isso também retirou parte da pressão negativa sobre as bolsas norte-americanas.

Dados divulgados mais cedo pelo Departamento de Trabalho dos EUA mostraram que o número de norte-americanos que entraram pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego caiu 7 mil na semana encerrada em 6 de agosto, para 395 mil. A leitura da semana anterior foi revisada para 402 mil, de 400 mil originalmente.

Analistas esperavam que o número de pessoas que entraram com pedido de auxílio-desemprego ficasse estável no patamar de 400 mil.

Outro indicador divulgado hoje mostrou que o déficit comercial dos EUA em junho aumentou 4,4% na comparação com o mês anterior, para US$ 53,07 bilhões – maior nível em dois anos e meio. Economistas ouvidos esperavam um déficit de US$ 48,0 bilhões.

Entre os destaques da sessão, a Cisco Systems subiu 15,95% depois de ter anunciado ontem à noite uma receita maior do que a esperada no quarto trimestre fiscal. O executivo-chefe da companhia, John Chambers, disse que a Cisco está fazendo um “sólido progresso” em seus esforços para enxugar as operações.

A AOL avançou 12,23% depois de anunciar que pretende recomprar US$ 250 milhões em ações, enquanto a News Corp. fechou em alta de 16,75% após divulgar um aumento de 27% nos dividendos semestrais, numa tentativa de evitar que um escândalo envolvendo a companhia no Reino Unido pese sobre suas ações. As informações são da Dow Jones.