Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

NY deve abrir em baixa, mesmo com melhora do trabalho

Por Da Redação
5 jul 2012, 10h33

Por Sergio Caldas

Nova York – Os índices futuros das bolsas de Nova York apontam para uma abertura em baixa nesta quinta-feira, apesar das medidas de estímulo anunciadas esta manhã por três bancos centrais e dados mais fortes do que o esperado do mercado de trabalho dos EUA.

Por volta das 10h20 (de Brasília), o índice futuro Dow Jones recuava 0,38%, o Nasdaq perdia 0,07% e o S&P 500 caía 0,24%.

O euro era negociado em US$ 1,2394, de US$ 1,2525 ontem. O contrato do petróleo WTI subia 0,24%, para US$ 87,26 o barril na Nymex.

Os índices futuros das bolsas norte-americanas subiram depois de o Banco Central Europeu reduzir sua taxa básica de juros em 0,25 ponto porcentual, para 0,75%, como esperado pelo mercado. Além disso, o Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) manteve sua taxa. Também ajudou um inesperado anúncio do BC chinês, que diminuiu suas taxas de juros pela segunda vez em menos de um mês.

Continua após a publicidade

O setor privado dos EUA criou 176 mil empregos em junho ante maio, segundo o relatório da ADP/Macroeconomic Advisers. O número superou a expectativa dos economistas consultados pela Dow Jones, que previam 108 mil novas contratações para o mês passado. Já o número de trabalhadores norte-americanos que entraram pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego caiu 14 mil, para 374 mil, na semana até 30 de junho. Pesquisa da Dow Jones indicava uma queda muito menor, de 1 mil solicitações.

Apesar da série de medidas de estímulo e indicadores favoráveis do mercado de trabalho norte-americano, os futuros de Nova York voltaram a cair pouco antes da abertura.

Entre as ações corporativas, os papéis da rede atacadista Costco Wholesale caíam 1,3% nas negociações de pré-mercado depois de a empresa anunciar que suas vendas de mesmas lojas em junho subiram 3% em relação ao ano anterior, abaixo das projeções.

A fabricante de roupas e calçados Buckle, por sua vez, perdia 3,5% após divulgar uma queda de 2,5% nas vendas de mesmas lojas, também para junho. A expectativa era de vendas estáveis. As informações são da Dow Jones.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.