Clique e assine a partir de 9,90/mês

Novartis vai cortar 1.960 empregos com reestruturação

Por Da Redação - 13 jan 2012, 10h29

Por Álvaro Campos

Zurique – A farmacêutica Novartis informou hoje que vai demitir 1.960 funcionários, como parte da reestruturação dos seus negócios nos Estados Unidos, refletindo a futura perda da patente do medicamento Diovan no país e o fracasso das vendas do remédio para pressão alta Aliskiren.

A reestruturação, que vai gerar uma economia anual de quase US$ 450 milhões a partir de 2013, deve impactar no lucro da Novartis. Uma provisão de US$ 160 milhões vai ser contabilizada no primeiro trimestre deste ano, enquanto as vendas menores do Aliskiren devem representar um encargo de US$ 900 milhões no balanço do quarto trimestre do ano passado. Além disso, a descontinuação de dois remédios experimentais deve custar mais US$ 160 milhões.

“Nós reconhecemos que os próximos dois anos serão desafiadores na divisão farmacêutica”, afirmou David Epstein, diretor da Novartis Pharmaceuticals. “Nós estamos adotando proativamente essas mudanças para focar mais nossos projetos nas melhores oportunidades e alinhar nossa posição de mercado com as nossas marcas de crescimento”.

As demissões devem se focar na equipe de vendas da Novartis nos EUA, na qual serão cortadas 1.630 vagas. Outros 330 postos serão cortados na sede da companhia. As mudanças entrarão em vigor no segundo trimestre do ano. Por volta das 11h (de Brasília), as ações da Novartis tinham queda de 0,66% na Bolsa de Zurique. As informações são da Dow Jones.

Continua após a publicidade
Publicidade