Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Nível de inglês é testado diversas vezes em processo seletivo da Nestlé

Companhia aplica dinâmicas e maratonas de programação no caminho até a vaga; empresa está entre as 15 mais desejadas pelos universitários brasileiros

No cenário atual do mercado de trabalho brasileiro, grande parte dos trabalhadores tem consciência da importância do inglês para conseguir um emprego. No entanto, para a Nestlé, a característica é ainda mais relevante. Um dos funcionários da empresa, que preferiu não se identificar, conta que teve de validar a sua competência por mais de três vezes, sendo duas entrevistas e uma redação. Alguns concorrentes ainda passam por um teste online.

A Nestlé é a 14° empresa mais desejada pelos universitários brasileiros, segundo dados de 2019 da consultoria Universum. A companhia é a mais bem rankiada do setor de alimentos.

As modificações ano a ano são muito comuns nos processos da empresa. Na seleção para trainee em 2018, por exemplo, a Nestlé montou uma dinâmica em que os candidatos tinham como objetivo decifrar códigos para conseguir sair de uma sala, dentro de determinado espaço de tempo.

A empresa também possui, para algumas vagas, o formato “às cegas”. Nele, os gestores não têm acesso aos currículos dos candidatos até a etapa final, o que oferece maiores chances dos participantes mostrarem seu potencial ao longo da seleção.

Apesar das mudanças, de forma geral, as seletivas da empresa seguem um padrão. Em vagas na alta gerência, por exemplo, o processo é mais individual e não conta com dinâmica de grupo, para não expor os concorrentes, que, em sua maioria, estão em posições de destaque em outras companhias.

Conheça o caminho até uma vaga

Etapa 1 – Inscrição

Primeiro é preciso de inscrever no site onde são publicadas as vagas da empresa. Uma fato curioso é que no ano passado os candidato a trainee puderam informar seus dados via recurso de voz. Assim, bastava ao concorrente falar suas informações, que o aplicativo da companhia citado anteriormente já processava a inscrição. 

Etapa 2 – Teste de inglês ou redação

O candidato passa por um teste de inglês ou redação. Para cargos de trainee e estagiários, também existem testes comportamentais e lógicos. A intenção da etapa é avaliar a escrita e a comunicação do candidato e validar sua proficiência em outra língua. Desse modo, o teste pode mudar de formato dependendo da vaga desejada. Uma funcionária, que preferiu não se identificar, afirmou que no seu processo fez uma redação e uma entrevista por telefone em inglês.

Etapa 3 – Dinâmica

Na fase seguinte, ocorre uma dinâmica presencial ou online, caso tenham pessoas de fora de São Paulo participando. Seu conteúdo muda de acordo com a vaga desejada. Segundo Priscylla Haddad, da área de seleção e recrutamento da empresa, a companhia busca inovar no processo. “Temos utilizado ferramentas para tirar a previsibilidade das etapas e deixar o candidato mais confortável”, afirma.

Além da atividade de escapar de uma sala, citada no início deste texto, a Nestlé realizou maratonas de programação ou hackatons, evento em que a ideia é procurar solução para algum problema específico, na maioria das vezes relacionado à sistemas virtuais. Em outro processo, o candidato podia fazer algumas etapas por um aplicativo específico.

Candidatos a vaga participam de dinâmica na etapa final de processo seletivo de 2018 da Nestlé, na sede da companhia, em São Paulo

Candidatos a vaga participam de dinâmica na etapa final de processo seletivo de 2018 da Nestlé, na sede da companhia, em São Paulo (//Divulgação)

Etapa 4 – Entrevista

Ao final, ocorre uma entrevista com o gestor e ou funcionários responsáveis pela seleção. A conversa é dividida em duas línguas: parte feita em inglês e parte, em português. Segundo funcionária que participou do processo, “a entrevista foi falar das experiências passadas, no que eu já trabalhei e o que eu gostava de fazer no tempo livre. Era mais para me conhecer mesmo.”

Para Haddad, um dos principais erros cometidos pelos candidatos no processo seletivo, principalmente nesta etapa, é mentir. “Muitos profissionais fazem uma entrevista que não é ele. Aparentam saber tudo. Minha dica é: ‘Seja você mesmo’. Queremos saber se o candidato é transparente.” Entre as mentiras mais comuns, segundo ela, está a proficiência em algum idioma, tema caro à empresa. “Em muitos casos, o candidato afirma que tem inglês avançado e, quando pedimos para conversar nessa língua, ele diz que não se sente confortável”, completa ela.

O resultado final do processo de seleção costuma ser divulgado alguns dias depois de realizada a última etapa da entrevista.