Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Na contramão dos mercados, Warren Buffett investe em jornais

Terceiro homem mais rico do mundo comprou o 'Tulsa World', fundado em 1905 - segundo jornal de maior tiragem no estado de Oklahoma

Por Da Redação 2 mar 2013, 09h55

O megainvestidor Warren Buffett, terceiro homem mais rico do mundo segundo a revista Forbes, adquiriu há apenas alguns dias seu 28º jornal, continuando com sua aposta na imprensa escrita e seguindo o caminho inverso dos investidores convencionais. Durante os últimos dois anos, Buffett comprou, através da BH Media Group (uma subsidiária de seu grupo Berkshire Hathaway Inc.), vários jornais locais nos Estados Unidos, revistas e publicações online.

A última aquisição de Buffett, conhecido como ‘o oráculo de Omaha’ por causa de sua cidade natal e da sua visão como investidor, é o ‘Tulsa World’, fundado em 1905 e o segundo jornal de maior tiragem no estado de Oklahoma, onde 90.000 cópias diárias são vendidas nos dias semanais e 130.000 nos domingos. “Em cidades onde há um forte sentimento de comunidade, nenhuma instituição é mais importante que o jornal local’, explicou Buffett no ano passado após a compra, por 142 milhões de dólares, da divisão de jornais do grupo Media General, de grande importância no sul dos EUA.

O empenho de Buffett em investir em um setor duramente afetado pelo boom das alternativas digitais e pela queda da publicidade não é um mistério para o diretor associado do Projeto para a Excelência do Jornalismo, Mark Jurkowitz. “Certamente ainda há possibilidades de conseguir lucro dos jornais, e Warren Buffett, que é um investidor muito experiente, sabe disso’, disse Jurkowitz à agência EFE. De acordo com o diretor, uma das tendências que explicam a forte aposta de Buffet na imprensa local. “A primeira é de que o preço pelo qual um investidor consegue adquirir um jornal hoje é muito inferior ao de dez anos atrás, e, no entanto, os jornais continuam sendo vendidos. Portanto, se compra por bom preço, há muitas garantias de que, pelo menos, irá recuperar o investimento”, disse Jurkowitz, para quem , os problemas econômicos dos jornais tem a ver com uma dívida adquirida durante anos – e não por falta de viabilidade econômica.

Saiba mais

Saiba mais sobre Warren Buffett

Apesar de tudo, os dois analistas não descartam um certo ‘sentimentalismo’ nas compras de Buffett, que deu seus primeiros passos empresariais distribuindo jornais em sua cidade natal e lê atualmente até cinco jornais por dia, segundo declarou o mesmo em várias ocasiões. Buffett investe em um setor fortemente castigado por uma crise que nos Estados Unidos, onde são fechados por anos entre 14 e 21 jornais. Esse mercado também quase não lança novas publicações e emprega cada vez menos pessoas: em 1989, empregava 56.900 pessoas; em 2010, a 41.600, segundo dados do Projeto para a Excelência em Jornalismo.

(Com EFE)

LEIA TAMBÉM:

Buffett e Lemann compram fabricante de alimentos Heinz

Gestão brasileira no Burger King e na Ambev conquista Buffett

Compra da Heinz é negócio de bilionários

Buffett compra jornais no sudeste dos EUA

Continua após a publicidade
Publicidade