Clique e assine a partir de 9,90/mês

MP pede que Uber notifique 196 mil sobre vazamento de dados

Segundo o Ministério Público, faltam esclarecimentos sobre o possível comprometimento de informações pessoais de brasileiros; vazamento atingiu 57 milhões

Por Da redação - 5 fev 2018, 17h05

O Ministério Público do Distrito Federal (MPDFT) pediu que a Uber notifique 196.000 clientes do aplicativo de transporte sobre o vazamento de dados em outubro de 2016. O incidente afetou 57 milhões de usuários em todo o mundoSegundo o MP, faltam esclarecimentos sobre o possível comprometimento de informações pessoais de usuários brasileiros. O órgão também questiona se a Uber efetuou pagamento ao hacker responsável pelo roubo de dados.

O documento enviado à direção-geral da Uber no Brasil traz outras nove perguntas sobre a possível exposição de dados de motoristas e passageiros. Caso a empresa confirme ao MP o vazamento de dados, deverá descrever a natureza do incidente, o total de pessoas afetadas, as localidades e os tipos de informações comprometidas.

O ofício foi encaminhado para a empresa em 23 de janeiro, com prazo de 10 dias. Entretanto, na última sexta-feira, a Uber solicitou uma prorrogação de 15 dias úteis – a mudança de data foi acatada pelo promotor do caso, Frederico Meinberg.

A Comissão de Proteção dos Dados Pessoais do Ministério Público também vai pedir que as autoridades do Reino Unido e Holanda compartilhem provas sobre o caso. A Holanda foi responsável por conduzir uma força-tarefa de investigação sobre o incidente na Europa.

Continua após a publicidade

Autoridades de outros países como Austrália, Filipinas e Estados Unidos também já abriram investigações sobre o caso. Na próxima semana, o chefe de segurança de informação da Uber irá depor no Senado dos Estados Unidos sobre o vazamento de dados.

Procurada, a Uber confirmou que recebeu o ofício do MPDFT. “Vamos responder fornecendo todas as informações necessárias”.

Publicidade