Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Morte de Jobs repercute entre fornecedores da Ásia

Por Da Redação - 6 out 2011, 15h38

Por Hélio Barboza

Hong Kong – O maior efeito da morte de Steve Jobs será sentido na Ásia, onde estão muitos dos principais fornecedores e também alguns dos maiores concorrentes da Apple. A grande questão para os fornecedores será se a saída da força criativa da Apple esgota a energia que produziu todos os segmentos de novos produtos. Para os concorrentes, um declínio do prodígio de marketing da Apple pode significar uma oportunidade.

Ao longo dos anos, muitos fabricantes de componentes da Ásia se beneficiaram de um aumento de vendas na medida em que produtos icônicos da Apple, como o iPhone e o tablet iPad, sustentaram a demanda por itens como chips de memória, displays de tela plana e telas sensíveis ao toque. Mas a morte de Steve Jobs levantou dúvidas sobre se a Apple conseguirá continuar a inovar e fazer produtos tecnológicos icônicos. Até agora, as inovações da empresa e a estratégia de ser a primeira do mercado, com produtos como o tocador de música iPod e os tablets, levaram concorrentes como Samsung e Lenovo a lançar produtos semelhantes para competir. A corrida para conquistar mais participação de mercado também levou a uma disputa mundial de patentes.

A Samsung, principal concorrente da Apple em smartphones e tablets, mas também uma importante fornecedora de chips e telas de cristal líquido, emitiu um comunicado em que manifesta o pesar pela morte de Jobs. “O presidente Steve Jobs introduziu mudanças revolucionárias na indústria de tecnologia da informação e foi um grande empreendedor”, diz o comunicado. “Seu espírito inovador e marcantes habilidades serão lembrados para sempre pelas pessoas ao redor do mundo”, disse o diretor executivo, Choi Gee-sung, no comunicado.

Publicidade

A Lenovo, terceira maior fabricante de computadores pessoais do mundo, disse que as conquistas de Jobs são “inseparáveis do nosso tempo”. “Hoje, o mundo perdeu um de seus maiores inovadores e visionários com o falecimento de Steve Jobs”, disse o presidente executivo, Yuanqing Yang, em um comunicado. “Ao mesmo tempo que todos sentiremos esta enorme perda, estou confiante de que esta indústria levará no coração as lições que Steve nos ensinou sobre inovação”, afirmou o executivo.

Howard Stringer, presidente do conselho, presidente e diretor executivo da Sony do Japão, disse que “a era digital perdeu seu luminar, mas a inovação e a criatividade de Steve vão inspirar sonhadores e pensadores por várias gerações”.

Enquanto muitas companhias de tecnologia da Ásia manifestaram pesar pela morte de Steve Jobs, os investidores na Ásia reagiram diferentemente, com as ações das grandes companhias de tecnologia em alta na sessão da manhã desta quinta-feira, em seguida à notícia. As informações são da Dow Jones.

Publicidade