Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mercado financeiro eleva a previsão do PIB para 0,92% em 2019

De acordo com Boletim Focus, economia deve crescer menos do que em 2017 e 2018; inflação deve encerrar o ano em 3,29%

Economistas consultados pelo Banco Central voltaram a elevar a previsão do Produto Interno Bruto (PIB) para este ano. A revisão foi ligeira, de 0,01 ponto porcentual, passando de 0,91% para 0,92%. Porém, é a terceira semana consecutiva em que analistas do mercado financeiro elevam a estimativa para a economia. Os dados estão no Boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira, 4.

Apesar da melhora, a previsão do PIB para 2019 ainda é menor que o resultado dos últimos dois anos: em 2017 e 2018, a economia brasileira cresceu 1,1%. O PIB é a soma de todos os bens e serviços feitos no país. Para 2020, o mercado financeiro manteve a projeção de crescimento de 2% na economia. 

Este é o primeiro relatório após a divulgação do novo corte da taxa básica de juros da economia, a Selic, que caiu de 5,5% para 5% na semana passada, atingindo o menor patamar da história. Analistas do mercado, no entanto, mantiveram a previsão para a Selic, de 4,5% ao ano ao fim de 2019. No comunicado da redução da taxa, o Comitê de Política Monetária (Copom) indicou que deve cortar a taxa de juros em mais 0,5 ponto percentual em dezembro para estimular a retomada da economia, que continua com alto grau de ociosidade.

Inflação e câmbio

O mercado financeiro manteve a estimativa da inflação para este ano. Segundo o Focus, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve encerrar o ano em 3,29%. A expectativa segue abaixo da meta central, de 4,25%. O intervalo de tolerância do sistema de metas varia de 2,75% a 5,75%.

Para 2020, o mercado financeiro manteve em 3,60% sua previsão. No próximo ano, a meta central de inflação é de 4%, tendo tolerância entre 2,5% e 5,5%.

A projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2019 permaneceu em 4 reais por dólar. Na sexta-feira, a moeda americana fechou abaixo deste valor, sendo vendida a 3,99 reais. Para o fechamento de 2020, a previsão continuou estável em 4 reais por dólar.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Rodson Layne Luiz Barbosa

    O “porém” no enunciado da reportagem é manipulação de informação? É, essa imprensa brasileira tá virando m&rd@ mesmo… Não consegue dar uma informação positiva do governo em um porém, um mas etc… Por que não colocaram que os números, “porém”, estão acima dos últimos dois, três, quatro anos da esquerda no poder?!

    Curtir