Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Mantega confirma nova rodada de desonerações

Depois de incluir novos setores no pacote de desonerações trabalhistas nesta sexta-feira, ministro da Fazenda diz que outros estão sendo analisados

Por Da Redação 5 abr 2013, 13h44

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, confirmou na manhã desta sexta-feira que o governo está preparando novas medidas de desoneração. O setor de etanol e de indústria química, por exemplo, terão desonerações de PIS/Cofins, mas, de acordo com Mantega, a medida ainda não está pronta. O ministro respondeu que a desoneração de smartphones não está definida.

Segundo Mantega, a desoneração para 42 setores que já está em vigor equivale a uma renúncia fiscal de 16 bilhões de reais em 2013. O ministro afirmou ainda a necessidade de manter a solidez fiscal e as metas de superávit. Por essa razão, a medida que amplia desonerações para mais 14 novos setores, anunciada nesta sexta-feira no Diário Oficial da União, valerá a partir de 2014.

Ele disse que o governo também prepara mudanças na tributação de lucro das multinacionais no exterior e que deverá chegar a novas propostas nas próximas semanas.

Leia também:

Com desonerações, renúncia fiscal do governo chegará a R$ 35,3 bi

Governo pode mudar Orçamento para viabilizar novas desonerações

Continua após a publicidade

Ao responder a uma pergunta sobre a inflação, afirmou que “a inflação mês a mês está caindo”. “Foi muito elevada em janeiro e no final do ano costuma ser elevada por causa do regime de chuvas. Este ano, estamos prevendo uma safra recorde, portanto, uma grande oferta”, disse, comentando que a inflação em janeiro foi alta por conta da seca e da chuva, mas a expectativa é de desaceleração. Mantega acredita que o término do período de chuvas e a safra recorde devem reduzir os preços de hortifrútis. “O IPCA (índice de inflação) de janeiro foi 0,86%, de fevereiro, 0,60%, e provavelmente o de março será menor ainda”, disse Mantega, afirmando que a curva é “descendente”.

“O governo está atento, não permitirá que a inflação fuja de controle”, afirmou e depois completou: “tomaremos todas as medidas necessárias, porém, estamos esperando uma safra melhor e o preço de alimentação, vilão da inflação, deve voltar a cair”.

Leia também:

BC aumenta para 5,7% projeção para inflação em 2013

Prévia da inflação registra alta de 2,06% no 1º trimestre

(com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade