Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Malhação sem mensalidade: site cresce vendendo diárias de academia

Criado pensando em viajantes, a rede Gympass saltou de 60 para 800 academias parceiras em um ano de existência e já tem planos de internacionalização

A experiência pessoal induziu os empreendedores César Carvalho, Vinicius Ferriani e João Thayro a trazerem ao Brasil um conceito diferente de malhação que culminou na criação da Gympass há um ano. Desestimulado com os fechados e pouco flexíveis planos de academias de ginástica, Carvalho, que vivia em viagens em seu antigo emprego, percebeu que seria muito mais fácil fazer exercícios se pudesse comprar apenas diárias em academias próximas de onde estivesse, independente da cidade, bairro ou país.

Assim surgiu a ideia de criar uma rede de academias parceiras que vendessem não planos, mas pacotes ou mesmo apenas uma diária para usuários que estejam de passagem. O novo formato também permite que clientes usem o programa para testar os serviços e estrutura de uma academia antes de se matricular. Surfando na onda de vida saudável, ao longo dos últimos 12 meses, a Gympass passou de 60 academias credenciadas em São Paulo para 800 estabelecimentos em 50 cidades do Brasil – e espera bater 1.000 parceiros ainda este mês. A diversidade de perfis de academias é grande e o cliente pode pesquisar por aulas específicas que a academia oferece.

“Antes éramos somente um website. Hoje temos também uma versão para celulares, que permite a pesquisa pelo usuário de academias mais próximas a ele em poucos cliques, temos ainda um atendimento por central telefônica e lançamos um aplicativo que permitirá a todos os usuários de academias registrar seus treinos pelo celular, recebendo dicas de como fazer os exercícios e também sua evolução na prática de exercícios”, contou Carvalho ao site da VEJA.

Leia mais:

Suor e saúde a preço de ouro

Aplicativos ‘do bem’ rendem prêmios às startups brasileiras

Quanto à expansão ao exterior, pelo foco da empresa ser grandes metrópoles, a Gympass deve começar a operar primeiramente na Cidade do México, por ser um local populoso e com expansão do mercado de comércio eletrônico, e depois em outras grandes cidades latino-americanas. “Nossa filosofia é que somos um business de metrópoles e, assim, chegaremos num momento em que estar numa cidade média no Brasil é menos vantajoso do que estar numa grande cidade em outro país”, conta. A meta da empresa é chegar a 4.000 academias conveniadas no Brasil até o fim de 2014. Do investimento em marketing, 70% vai para internet. Os outros 30% são para ações off-line, por exemplo participações em eventos, anúncios em rádios locais, e folhetos e cartões para nutricionistas distribuírem.