Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Lucro da Telefônica Brasil cai 18,4% no 1º trimestre

Resultado ficou abaixo da expectativa do mercado e foi influenciado pelo aumento de despesas financeiras e menor desempenho operacional

O lucro da Telefônica Brasil, operadora da Vivo, caiu 18,4% no primeiro trimestre deste ano em comparação ao mesmo período do ano passado, para 660,8 milhões de reais.O resultado ficou abaixo das expectativas de analistas, de 746 milhões de reais, e foi afetado pelo menor desempenho operacional e aumento das despesas financeiras.

A geração de caixa medida pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) caiu 6,7% na comparação anual, para 2,563 bilhões de reais, pouco menor do que a previsão de analistas, de 2,594 bilhões de reais. Em comunicado sobre o desempenho, a companhia atribuiu a queda do Ebitda aos esforços de melhoria do desempenho do negócio de telefonia fixa e aumento da base móvel, que foram intensificados a partir do segundo trimestre do ano passado. No trimestre, a margem Ebitda recuou 2,4 pontos porcentuais sobre um ano antes, a 29,8%.

Leia mais:

Vivo é a operadora com maior participação no mercado em março

Brasil tem o pior desempenho da Telefónica na AL em 2013

Anatel abre consulta para licitação da faixa de 700 MHz

O resultado financeiro líquido ficou negativo em 88,3 milhões de reais, ante linha negativa em 16,7 milhões de reais um ano antes, em função de maiores despesas decorrentes do endividamento da companhia.

A Telefônica Brasil encerrou o período com 93,9 milhões de acessos (chips ativos), alta de 3,3% na comparação anual e de 1,4% ante o trimestre imediatamente anterior. Foram 78,5 milhões de acessos móveis no período, alta de 3,3% na comparação anual e de 1,6% sobre os últimos três meses de 2013. Já os acessos fixos somaram 15,4 milhões, crescimento de 3,5% na comparação com o mesmo período do ano passado e de 0,6% frente ao quarto trimestre.

Entre janeiro e março, o indicador de receita média por usuários (arpu) na telefonia móvel mostrou leve alta de 0,7% sobre igual período do ano passado, para 23,3 reais, puxado principalmente pelos serviços de dados, que cresceram 17,5%, enquanto os serviços de voz recuaram 6,4%. A base de TV por assinatura, por sua vez, subiu 14,7% no primeiro trimestre, a 645 mil usuários.

(com agência Reuters)