Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Lucro da Repsol sobe 24,3% no 3º trimestre

Por Da Redação 10 nov 2011, 13h20

Por Renan Carreira

Madri – Os preços mais altos de petróleo e gás ajudaram a impulsionar o lucro líquido da empresa espanhola Repsol YPF no terceiro trimestre deste ano, mesmo com a companhia divulgando uma queda acentuada na produção de petróleo e gás na comparação com o mesmo período do ano passado, de acordo com uma reportagem do jornal The Wall Street Journal.

O lucro líquido de 557 milhões de euros no terceiro trimestre é 24,3% mais alto do que o do mesmo período do ano passado e bem acima do estimado por analistas consultados pela Factset, de 443,1 milhões de euros. No entanto, o tão esperado lucro líquido ajustado pelos custos de substituição ficou em 429 milhões de euros. O valor ficou ligeiramente abaixo da previsão de 432 milhões de euros e foi pressionou por encargos de juros mais elevados e pela venda pela companhia de uma participação minoritária em sua unidade YPF na Argentina.

O total de produção de petróleo e gás no terceiro trimestre caiu 18,2%, para 283 mil barris de petróleo equivalente por dia, por causa de uma interrupção em março na Líbia, devastada pela guerra, e uma manutenção em Trinidad e Tobago. A produção foi retomada recentemente no país norte africano e atualmente gera 100 mil barris por dia, disse Miguel Martinez, diretor financeiro da Repsol, em uma conversa com investidores. Ele acrescentou que espera que a companhia esteja produzindo lá uma média de 170 mil barris de petróleo por dia em 2012.

A Repsol interrompeu suas operações na Líbia em março após a guerra eclodir no país. Pouco antes de o conflito começar, a companhia tirava cerca de 4% de sua produção do país norte africano, ou cerca de 340 mil barris diariamente. A empresa opera campos lá em conjunto com a francesa Total, a austríaca OMV e a companhia de petróleo estatal da Líbia.

Mais cedo nesta semana, a Repsol informou que sua unidade YPF havia descoberto uma grande quantidade de óleo de xisto no sul da Argentina e continuaria um intensivo programa de perfuração lá. Martinez disse que a companhia espera acrescentar entre 20 milhões e 25 milhões de barris às suas reservas este ano a partir das descobertas de petróleo na Argentina. Ele acrescentou que a empresa não está atrás de aquisições. As informações são da Dow Jones.

Continua após a publicidade
Publicidade