Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Levy aumenta a lista de impostos que podem ter alta neste ano

Para compensar as mudanças nos ajustes feitas no Congresso, governo estuda agora acabar com benefício fiscal a acionistas

Por Da Redação 21 Maio 2015, 12h11

Diante da perspectiva de que as medidas de ajuste fiscal não renderão a mesma economia prevista, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, já estuda ampliar a lista dos tributos que podem sofrer reajustes neste ano, informa reportagem publicada pelo jornal Folha de S. Paulo nesta quinta-feira. O objetivo é garantir o cumprimento da meta de superávit primário (economia para pagar os juros da dívida pública) de 1,2% do Produto Interno Bruto (PIB) definida para 2015.

Uma das principais mudanças deve ser a extinção de um benefício fiscal concedido no governo FHC às empresas que reduz os gastos com o pagamento do Imposto de Renda e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL). Essa vantagem possibilita que as companhias remunerem seus acionistas por meio do que ficou conhecido como juros sobre capital próprio, sendo uma alternativa à distribuição de dividendos. Sem essa isenção, o governo planeja ganhar 10 bilhões de reais ao ano.

O fim desse benefício fiscal tem apoiadores, sobretudo, entre filiados do PT, que veem na medida um contraponto à crítica frequente de que os ajustes fiscais só atingem os trabalhadores.

Também entra na lista o aumento da alíquota de CSLL de 15% para 17% para os bancos, o que pode gerar uma receita extra anual de 1,5 bilhão de reais, além do aumento na cobrança de PIS/Cofins e do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

A decisão sobre o aumento dos impostos deve ser anunciada nesta quinta-feira após reunião entre a presidente Dilma Rousseff e a sua equipe econômica. Também está previsto para hoje a divulgação do tamanho do corte de gastos do Orçamento para 2015.

Leia também:

Levy discute com senadores reforma do ICMS – mas não detalha seu impacto

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês