Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Leilão da BR-101 no ES terá consórcio local na disputa

Por Da Redação 5 jan 2012, 15h26

Por Leonardo Goy e Carolina Marcondes

BRASÍLIA/SÃO PAULO (Reuters) – O leilão de concessão do trecho da BR-101 no Espírito Santo terá a participação de um consórcio local que será formado pelos sócios da Concessionária Rodosol, o Grupo Águia Branca (sócio da Trip Linhas Aéreas) e a Contek Engenharia.

A Rodosol é administradora do sistema Rodovia do Sol, que liga a chamada Terceira Ponte de Vitória (entre a capital e Vila Velha) a Guarapari.

“Somos uma empresa do ramo, vamos entrar e participar, mas dentro da realidade”, afirmou o coordenador do consórcio, Américo Madeira, à Reuters, nesta quinta-feira.

De acordo com Madeira, que também faz parte do Conselho de Administração da Rodosol, os altos investimentos a serem feitos no trecho da BR 101 não permitirão fortes deságios em relação ao teto do pedágio estipulado pelo governo.

O edital da licitação considera investimento de 2,15 bilhões de reais, inclusive para duplicação de metade do traçado até o sexto ano de concessão.

Continua após a publicidade

“Esse edital demonstra a preocupação do governo em ter as obras físicas. O que tem de investimento é muito alto e não permite desconto”, afirmou Madeira, acrescentando que o consórcio tem interesse em outros leilões de concessão que devem ser realizados neste ano, como trechos da BR-040 e BR-116.

Segundo um técnico da ANTT que pediu anonimato, o leilão da BR-101 -marcado para 18 de janeiro- deverá ter pelo menos cinco concorrentes.

Além do consórcio capixaba, já manifestaram interesse a Ecorodovias, a Triunfo Participações e a Isolux, está última em provável parceria com a Engevix.

A Invepar disse que “tem interesse e está estudando o assunto”. A OHL Brasil, por sua vez, afirmou que a decisão de entrar ou não na disputa leva em conta fatores como o plano de expansão da empresa, disponibilidade de crédito e expectativa de retorno para seus acionistas.

O vencedor do leilão terá o direito de explorar, por 25 anos, um trecho de 475,9 quilômetros da BR-101, dos quais 458,4 quilômetros estão dentro do Espírito Santo, da divisa com o Rio de Janeiro à divisa com Minas Gerais.

Vencerá a disputa quem se propuser a cobrar a menor tarifa de pedágio, abaixo do máximo de 0,06237 real por quilômetro fixado pelo governo. Serão instaladas sete praças de pedágio no trecho.

Continua após a publicidade
Publicidade