Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Lagarde defende prazo adicional de dois anos à Grécia

Diretora-gerente do FMI argumentou que Atenas precisa de mais tempo para conseguir cumprir as medidas de redução de déficit exigidas pelos credores

A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, defendeu nesta quinta-feira a concessão de mais tempo para que Atenas cumpra as medidas exigidas pelos credores internacionais. “É necessário dar à Grécia um prazo adicional de dois anos para que este país seja capaz de concluir o programa de ajuste de suas finanças públicas”, disse Lagarde em Tóquio, onde participa da Assembleia Anual do FMI e do Banco Mundial. Atualmente, o país europeu tem a meta de reduzir o déficit público até 2,1% do seu Produto Interno Bruto (PIB) em 2014, contra os 7,3% previstos para este ano.

Leia também:

Em Atenas, Merkel pede que Grécia não perca o foco

Grécia deve ficar sem recursos em novembro, diz premiê

O Fundo Monetário Internacional já havia acenado um apoio à folga adicional para a Grécia, mas é a primeira vez que a diretora fala de maneira clara em dois anos de prazo, como solicita o governo grego. “No lugar de uma redução frontal e massiva, às vezes é preferível dispor de um pouco mais de tempo”, destacou Lagarde. “É o que defendemos para Portugal e o que também fizemos para a Espanha.”

Negociações – Na cúpula realizada em setembro, a União Europeia deu a entender que estava disposta a conceder mais tempo à Grécia, atualmente em negociações com seus credores do FMI, do Banco Central Europeu (BCE) e da UE para obter uma nova ajuda, de 31,5 bilhões de euros. Segundo o FMI, a dívida pública da Grécia superará este ano 170% do PIB e seguirá aumentando em 2013 para atingir 181,8%, enquanto seus credores públicos exigem uma redução para 120% do PIB até 2020.

(Com agência France-Presse)