Clique e assine a partir de 8,90/mês

JP Morgan pagará multa de US$ 13 bi por títulos ‘podres’

Acordo com governo dos EUA pune banco por vender derivativos de hipotecas 'subprime', responsáveis pela bolha imobiliária que explodiu na crise de 2008

Por Da Redação - 19 nov 2013, 04h16

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos e o banco JP Morgan Chase fecharam nesta segunda-feira um acordo pelo qual a instituição financeira pagará 13 bilhões de dólares de multa por suas práticas negligentes quanto à venda de títulos derivativos de empréstimos hipotecários de alto risco conhecidos como “subprime”. Tais papéis, considerados “podres” porque eram lastreados em hipotecas que jamais seriam pagas por causa do grande risco de insolvência dos devedores, estão na origem da bolha imobiliária que desencadeou a crise financeira de 2008 nos EUA.

O acordo representa a multa mais alta já estipulada entre o governo americano e uma única companhia e deve ser anunciado oficialmente nesta terça-feira, informou o jornal The Wall Street Journal em seu site. Uma vez confirmada, será a ação mais dura tomada até agora pelo governo Barack Obama contra os responsáveis pela crise financeira.

Leia também:

Déficit fiscal dos EUA cai em outubro a US$ 91,6 bilhões

Após meses de conversas com o banco para concluir várias investigações sobre fraude financeira, os negociadores estipularam nesta segunda o último ponto do pacote da multa, cerca de 4 bilhões de dólares que serão destinados a proprietários de casas em dificuldade para pagar suas hipotecas.

Continua após a publicidade

Os 9 bilhões de dólares restantes serão divididos da seguinte forma: 6 bilhões para pagamentos de indenização aos investidores que sofreram perdas e 3 bilhões em multas relacionadas à venda de títulos hipotecários com problemas no período anterior à crise de 2008.

Ao longo do último fim de semana, o secretário de Justiça dos EUA, Eric Holder, e o secretário de Habitação, Shaun Donovan, mantiveram longas conversas para fechar os detalhes dos 4 bilhões de dólares para os proprietários de hipotecas, o ponto mais complexo do acordo, segundo as fontes citadas pelo Wall Street Journal.

Recorde – A multa supera a que foi estipulada em janeiro entre o governo dos EUA e a companhia petrolífera BP, obrigada a pagar 4,5 bilhões de dólares pelo vazamento de óleo no Golfo do México em 2010. Até agora, esta era a multa mais alta imposta a uma única empresa.

O acordo com o JP Morgan Chase é de âmbito civil. Dessa forma, não impede a continuação de uma investigação criminal pela venda de títulos derivativos dos empréstimos hipotecários “subprime”, cujo alto risco desembocou na explosão da bolha imobiliária nos EUA.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade