Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Itália pressiona UE por plano contra desemprego de jovens

Primeiro-ministro do país exigiu medidas que funcionem no curto prazo; 38,4% dos italianos de 15 a 24 anos não têm trabalho

Por Da Redação 10 Maio 2013, 18h40

O primeiro-ministro italiano, Enrico Letta, exigiu que o próximo Conselho Europeu, em junho, se concentre em um plano para lutar contra o desemprego dos jovens. “Pedimos que o próximo Conselho se concentre em um plano de urgência contra este flagelo”, afirmou Letta, que concedeu nesta sexta-feira uma coletiva de imprensa ao lado do presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz.

A taxa de desemprego na Itália alcança 11,5% da população economicamente ativa, mas chega a 38,4% entre os trabalhadores entre 15 e 24 anos. Para o chefe do governo, as medidas devem ser imediatas, “não um plano faraônico com medidas de longo prazo”.

A luta contra o desemprego dos jovens foi um tema martelado nos discursos de Letta desde que chegou ao governo, em 30 de abril. No dia 6 de maio, durante um encontro com o chefe do governo espanhol, Mariano Rajoy, o italiano já havia dito que será “imperdoável” se, no próximo Conselho Europeu, mais alto órgão político da União Europeia, não forem adotadas medidas de recuperação do desemprego dos jovens.

Contas públicas – Letta também reiterou o compromisso de manter as contas públicas da Itália dentro da meta da União Europeia, com um déficit de 3% do PIB neste ano.

O primeiro-ministro, que pertence ao Partido Democrático, de centro-esquerda, descartou qualquer possibilidade de guerra ideológica sobre temas de austeridade e crescimento econômico. De qualquer forma, Letta reconheceu que seu país está com suas contas em ordem “graças ao governo anterior e à maioria que o apoiou”, referindo-se à administração de seu antecessor, Mario Monti, que não é filiado a nenhum partido.

Continua após a publicidade

Leia também:

Desemprego na Grécia chega a 64,2% entre os jovens

Itália deve pedir mais tempo para cumprir metas da UE

Itália aprova plano fiscal e prevê déficit para 2017

Comissão Europeia confia em ‘estabilidade política’ na Itália

(com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade