Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

IPI impulsiona intenção de consumo em janeiro

Por Daniela Amorim

Rio – A redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para eletrodomésticos da linha branca – fogões, máquinas de lavar e refrigeradores – impulsionou a intenção de consumo das famílias em janeiro, mês atípico para ir às compras, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

O índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF), medido pela CNC, registrou alta de 1,8% em janeiro em relação a dezembro de 2011, puxado, sobretudo, pela percepção sobre o momento para bens duráveis. O item teve crescimento de 4,6%. “A redução do IPI em dezembro já criou uma maior disposição nas famílias para consumir bens duráveis”, explicou Bruno Fernandes, economista da CNC.

A medida tomada pelo governo para reaquecer a economia acabou afetando também o nível de consumo atual, que subiu 4,1% no ICF em janeiro. “Outro fator que tem contribuído são os preços mais baratos de eletrodomésticos. E o câmbio, que ainda não afetou os preços”, lembrou Fernandes.

A desaceleração da inflação como um todo, não apenas no setor de duráveis, teve papel importante para o aumento da confiança do consumidor. “O reajuste do salário mínimo – em vigor desde 1º de janeiro – proporcionou um ganho nominal à renda do trabalhador, enquanto a menor aceleração da inflação voltou a possibilitar um ganho real”, afirmou o economista da CNC. Dentro do ICF, a confiança no item renda atual teve melhora, com aumento de 1,2% na passagem de dezembro para janeiro.