Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Bolsa abre em queda com resultado tímido do PIB brasileiro

Segundo especialistas, o crescimento foi um pouco abaixo do esperado, mas não deve causar grandes impactos no mercado

Por André Romani
Atualizado em 28 fev 2019, 16h48 - Publicado em 28 fev 2019, 11h46

O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, abriu em queda nesta quinta-feira, 28, após a divulgação dos resultados tímidos do Produto Interno Bruto (PIB) do país.

Às 15h30 o Ibovespa marcava queda de 1,56%, aos 95.791 pontos. O dólar comercial também operava em queda, cotado a 3,74 reais, baixa de 0,39%.

O PIB brasileiro ficou em 1,1% em 2018, segundo resultado positivo consecutivo depois da recessão em 2015 e 2016.

O indicador, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e serve para medir a evolução da economia.

Continua após a publicidade

O resultado foi um pouco abaixo das últimas previsões do Boletim Focus para 2018, de 1,32%, o que pode explicar a queda do Ibovespa. “O mercado está percebendo que o crescimento vai demorar mais do que o esperado”, explicou o analista-chefe da XP Investimentos, Karel Luketic.  

Expectativa para 2019

O setor de serviços registrou taxa positiva em todas as atividades, acumulando alta de 1,3% no ano. Já a agropecuária se manteve quase estável, com variação de 0,1% e a indústria cresceu 0,6%, com destaque para a atividade de eletricidade e gás, água, esgoto e gestão de resíduos, que subiu 2,3%.

Continua após a publicidade

Para Luketic, com a percepção desse crescimento lento, os investidores começam a realizar os lucros ou prejuízos (vender as ações).

Além disso, a ideia de uma crescimento um pouco mais lento que o previsto também se encaixa com as previsões futuras sobre a reforma da Previdência. A proposta só deve ser aprovada no segundo semestre deste ano, o que para diversos setores do mercado implicaria em mais um ano de crescimento resguardado.

“Como o conjunto do ajuste do atual governo é francamente recessivo no curto prazo tudo sugere que teremos um PIB fraco em 2019”, analisa André Perfeito, analista-chefe da corretora Necton.

Continua após a publicidade

Segundo o Boletim Focus, a expectativa atual para 2019 é de crescimento de 2,48%.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.