Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Governo estuda antecipar novamente o 13º salário de aposentados

Sem auxílio emergencial, Economia analisa antecipação de despesas já previstas e pode liberar parte do abono ainda no 1º trimestre

Por Larissa Quintino Atualizado em 13 jan 2021, 02h48 - Publicado em 12 jan 2021, 12h44

Com o fim das medidas emergenciais para estímulo da economia — a principal delas, o auxílio emergencial — e a pandemia que não arrefece no país, o Ministério da Economia estuda a antecipação do 13º salário de segurados do INSS como forma de estimular o consumo. Parte do benefício pode ser pago ainda no 1º trimestre. A medida de antecipar a gratificação de Natal dos aposentados foi uma das primeiras lançadas pelo governo no ano passado, quando a pandemia chegou ao Brasil e começou a restringir atividades. Em 2020, o total antecipado pela medida foi de 47,2 bilhões de reais.

Como o orçamento do 13º salário de aposentados e pensionistas já é uma despesa prevista no orçamento e não depende de novas liberações, antecipar o recebimento do abono natalino é uma forma mais fácil de injetar dinheiro na economia de forma rápida. Segundo o último boletim da Previdência Social, em novembro, haviam 30 milhões de benefícios previdenciários ativos. Além de aposentadorias, pensionistas e beneficiários de auxílio-doença, reclusão e salário maternidade recebem 13º salário do INSS.

Segundo interlocutores do Ministério, está em estudo se essa liberação seria da totalidade do benefício ou a antecipação de algum valor, como a primeira parcela. Em 2020, a primeira parcela do 13º salário foi paga na folha de abril e a segunda na folha de maio, após autorização em Medida Provisória. A primeira parcela do 13º salário equivale a metade do benefício, sem o desconto do Imposto de Renda.

Antecipações

Em 2020, além da antecipação do 13º salário do INSS, houve também o adiantamento do abono salarial do PIS para trabalhadores que teriam direito a receber o recurso naquele ano. Caso o governo opte por lançar mão também dessa antecipação, o pagamento não é tão rápido. Isso ocorre porque o abono salarial precisa das informações enviadas pelos trabalhadores feitas pela Rais, que podem ser enviadas até meados do primeiro semestre. O abono do PIS paga até um salário mínimo para trabalhadores com carteira assinada que receberam até duas vezes o piso no ano-base. Atualmente, está sendo pago o abono do ano-base 2019. Esse exercício, que começaria a ser pago em julho passado, foi antecipado para junho para alguns trabalhadores. O impacto da medida foi de 6,5 bilhões de reais antecipados.

Devido à pandemia, o governo engendrou uma série de programas para incentivar o consumo. Além do pagamento do 13º salário e do PIS antes da data prevista, foi liberado o saque-emergencial do FGTS, um benefício para trabalhadores com contratos suspensos ou reduzidos e o auxílio emergencial para trabalhadores informais.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)