Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Governo dá como certo novo rebaixamento da nota de crédito

Desde julho, quando uma equipe da agência Moody's visitou o Brasil, os cenários econômico e político do país só pioraram

Por Da Redação 10 dez 2015, 09h38

O anúncio da agência internacional de classificação de risco Moody’s de colocar a nota do Brasil em perspectiva negativa é mais um golpe na economia provocado pela crise política, que alimenta a recessão. É simbólico que o aviso tenha sido feito poucos dias depois da abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

A revisão indica que a agência vai ficar de olho e decidir em pouco tempo se põe o Brasil no grupo de países considerados menos seguros para os investidores. Se isso ocorrer, será a segunda agência de rating a retirar o chamado grau de investimento do Brasil, o selo de bom pagador que sinaliza aos investidores estrangeiros que o país é seguro para investimentos.

O fato é que, desde a visita de representantes da agência ao Brasil, em julho, houve piora na frente política e econômica. O governo espera uma nova decisão da agência em dois meses.

A perda do grau de investimento, contudo, é dada como praticamente certa no Executivo. “Demorou demais”, resumiu um integrante da área econômica sem antes lamentar que o movimento para o rebaixamento tenha se acelerado. É difícil encontrar no governo quem arrisque uma avaliação de que será possível reverter essa ameaça, porque não há perspectiva de melhora do cenário brasileiro no curto prazo.

Leia mais:

Agência Moody’s põe nota do Brasil em revisão para rebaixamento

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade