Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Governo alemão aprova pacote de ajuda à Grécia

Por Da Redação 3 Maio 2010, 17h47

O gabinete do governo da Alemanha aprovou sua contribuição, de 22,4 bilhões de euros ao longo de três anos, ao pacote de ajuda de 110 bilhões de euros à Grécia, informou a BBC. A medida havia sido acertada neste final de semana pelos países da zona do euro e do Fundo Monetário Internacional (FMI).

O parlamento alemão, que ainda precisa ratificar o socorro, disse que está disposto a fazê-lo ainda nesta semana. A ajuda deve sair apesar da enorme oposição pública na Alemanha a uma assistência à economia grega. O país ficará responsável por praticamente 30% dos 80 bilhões de euros que sairão de empréstimos bilaterais dos governos da eurozona.

Austeridade � A aprovação do pacote de ajuda foi fechado somente após Atenas concordar com drásticas medidas de austeridade. O governo local comprometeu-se a reduzir seu explosivo déficit público, hoje em torno de 14% do Produto Interno Bruto (PIB), para cerca de 3% até o final de 2014.

As medidas de austeridade incluem a redução de salários e aposentadorias para funcionários públicos e um aumento do IVA. “São sacrifícios duros, mas necessários para evitar que a Grécia quebre”, disse o premier grego, George Papandreou. As medidas representarão uma economia “de 30 bilhões de euros em três anos”, além dos 4,8 bilhões de euros já anunciados para 2010, explicou o ministro grego das Finanças, George Papaconstantinou.

Para 2010, os europeus liberarão 30 bilhões de euros e o FMI, outros 15 bilhões, e o dinheiro começará a entrar antes de 19 de maio, quando a Grécia deverá honrar 9 bilhões de euros de sua dívida.

Continua após a publicidade

Os ministros de Finanças da zona do euro vão analisar de que maneira os bancos de seus respectivos países poderão realizar contribuições “voluntárias” para este esforço, disse o chefe do grupo, Jean-Claude Juncker.

“Todos os ministros estão de acordo em examinar junto aos representantes do setor bancário de seus países que tipo de contribuições voluntárias” podem oferecer à Grécia.

A iniciativa é liderada por Berlim, que tenta atualmente convencer as entidades bancárias alemãs a investir na dívida grega, algo que poderia contribuir para estabilizar os mercados.

A chanceler Ângela Merkel declarou que o pacote era �a única maneira de assegurar a estabilidade do euro�.

O objetivo do socorro à economia grega é duplo: evitar a quebra do país, asfixiado por uma dívida que supera os 300 bilhões de euros e incapaz de enfrentar as taxas de juros do mercado; e devolver a estabilidade à Eurozona.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês