Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

GM: já há gargalo na produção de peças de autos

Por Da Redação - 6 out 2011, 19h19

Por Paula Moura

São Paulo – O aumento do IPI sobre carros importados pode apertar o já apertado mercado de peças de automóveis que está lutando para acompanhar o crescimento brasileiro, afirma Jaime Ardila, presidente da General Motors Co. (GM) para a América do Sul.

“Não gostaríamos de importar peças, mas já temos tendo dificuldade para conseguir a quantidade suficiente dos fornecedores”, disse Ardila, que ressaltou que os carros produzidos pela GM no Brasil já ultrapassam 65% de peças locais. “Precisamos fazer investimentos em partes de automóveis, não apenas para atingir a meta do governo, mas para adaptar ao crescimento. A base de fornecedores está atingindo um gargalo significativo em algumas áreas”.

As vendas de automóveis brasileiros avançaram 12% no ano passado e espera-se um aumento de 5% neste ano após as medidas do governo para desacelerar o crescimento. Um real mais valorização levou ao aumento das importações, que ajudaram a manter o preço dos carros baixo enquanto os custos trabalhistas aumentaram. Mas também impulsionou o déficit comercial, pois os produtores brasileiros encontraram muita dificuldade de competir no exterior. As informações são da Dow Jones.

Publicidade