Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Fundos de pensão levam aeroporto de Guarulhos e governo arrecada R$ 24,5 bi em leilão

Petros, Previ e Funcef levam Guarulhos por 16,213 bilhões de reais

O consórcio Invepar – ACSA, composto pelo grupo Invepar e pela Airport Company South Africa (ACSA), levou a concessão do Aeroporto de Guarulhos por 16,2 bilhões de reais na manhã desta segunda-feira na BM&FBovespa. O valor foi uma das primeiras ofertas a serem abertas durante o leilão e não chegou a ser superado por nenhuma outra oferta. O grupo Invepar é composto pelos fundos de pensão Previ, Petros e Funcef, além da construtora OAS – e tem participação de 90% no consórcio. Já a ACSA é uma companhia da África do Sul que opera os três principais aeroportos do país africano: O.R. Tambo, Cape Town e King Shaka – e possui 10% de participação no consórcio. O ágio da oferta sobre o valor mínimo estabelecido pelo edital foi de 373,5%. O Aeroporto de Guarulhos é considerado a ‘joia da coroa’ do leilão.

O lance fechado para o Aeroporto de Viracopos, em Campinas, ficou em 3,82 bilhões de reais, feito pelo consórcio Aeroportos Brasil, composto pela Triunfo Participações, UTC Participações e Egis Airport Operation, com ágio de 159,75%. Já para o Aeroporto de Brasília, a oferta vencedora foi a do consórcio Inframérica, com participação da Infravix e da argentina Corporación América S.A, e que chegou a 4,5 bilhões de reais, com ágio de 673,89% – de longe a operação mais lucrativa do leilão. O consórcio é o mesmo que levou a concessão do aeroporto de São Gonçalo do Amarante, no Rio Grande do Norte, leiloado em agosto de 2011. No total, o governo arrecadou 24,535 bilhões de reais. O ágio total do leilão dos aeroportos superou 347%.

Os contratos serão assinados em até 45 dias após a homologação do leilão, com um período de transição de seis meses em que a concessionária administrará o aeroporto em conjunto com a Infraero. Segundo a Anac, esse período pode se prorrogar por mais quatro meses, até que a concessionária assuma toda a operação do aeroporto. O prazo de vigência da concessão é de 30 anos para Campinas, 25 anos para Brasília e 20 anos para Guarulhos.

O leilão teve início às 10 horas da manhã desta segunda-feira e contou com a participação de onze consórcios. Os que ganharam a concessão foram os que apresentaram as maiores ofertas desde o início do leilão. Em nenhum momento as ofertas foram ultrapassadas por outros consórcios.

Leia mais

Governo leiloa aeroportos com expectativa de forte concorrência

Anac aceita todas as propostas para o leilão de aeroportos

Metade da receita do País com aeroportos irá a leilão

TCU aprova edital para leilão de aeroportos

Mesmo pressionada, Anac descarta atraso em leilão de aeroportos

Dinâmica inédita – Os três aeroportos tiveram leilão simultâneo. Isso significa que os lances feitos pelos consórcios para cada um dos terminais entraram em uma conta única. Foi escolhida a combinação de ofertas que apresentou o maior valor acumulado para os três aeroportos. A estratégia maximizou a arrecadação do governo federal.