Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Funcionários da Pepsi são detidos na Venezuela após suspensão de produção

Companhia afirma estar sem matéria-prima, mas governo acusa empresa de estimular o desabastecimento de alimentos e bebidas no país

Diversos funcionários da Pepsi-Cola Venezuela foram detidos de forma “arbitrária” após a suspensão das operações em uma fábrica por falta de matérias-primas, de acordo com a empresa de alimentos Empresas Polar, que detém a operação local da Pepsi.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, tem acusado rotineiramente a Polar, maior produtora de alimentos e bebidas do país, de diminuir a produção ou armazenar os bens para estimular a escassez de produtos no país. A Polar nega as acusações.

Em sua página do Twitter, a empresa afirmou que os inspetores do Ministério do Trabalho prenderam os funcionários e ordenaram a reativação da fábrica na cidade de Caucagua, no Estado central de Miranda.

“Nós denunciamos a detenção dos trabalhadores da fábrica da Pepsi-Cola Vzla Caucagua”, disse a empresa por meio de sua conta no Twitter, prometendo entrar com um pedido de defesa legal para seus funcionários. “No caso da fábrica de Caucagua, não temos matérias-primas suficientes.”

A empresa disse que as linhas de produção foram interrompidas devido a atrasos no sistema de controle da moeda do país, que inviabilizaram a importação das matérias-primas necessárias, mas não deu mais detalhes.

Leia também:

Argentina promete quitar dívida de US$ 5 bi com exportadores brasileiros

Após fim do controle cambial, peso argentino despenca

(Com Reuters)