Clique e assine com até 92% de desconto

FT: corte dos EUA marca nova era financeira, diz Pimco

Por Da Redação 6 ago 2011, 10h03

Por Regina Cardeal

Londres – O rebaixamento da classificação de risco de crédito dos EUA pela Standard & Poor’s marca uma nova era financeira e o sistema global terá de se ajustar a ela, afirma Mohamed El-Erian, executivo-chefe e codiretor de investimentos da Pacific Investment Management Co. (Pimco), em artigo no Financial Times.

“Os mercados globais financeiros vão reabrir na segunda-feira para uma realidade diferente”, diz El-Erian. As consequências operacionais imediatas vão desde a recodificação de riscos até a avaliação de garantias e gestão de liquidez. A reação de segmentos-chave, como mercado monetário, e dos grandes credores dos EUA terá de ser atentamente monitorada, afirma o gestor do maior fundo de renda fixa do mundo.

Para a economia real, diz El-Erian, o impacto deverá ser sentido no aumento do custo do crédito para praticamente todos os tomadores de crédito norte-americano. Depois dos EUA, outros países podem perder o rating máximo AAA, prevê El-Erian. Isso complicará os esforços de recuperação da Europa se um país como a França estiver entre eles, afirma.

Mas, o mais preocupante, segundo El-Erian, são as genuínas incertezas sistêmicas. “Com os EUA ocupando o centro do sistema financeiro mundial, o rebaixamento de sexta-feira vai provocar uma erosão na posição dos bens públicos globais que o país fornece – desde o dólar como moeda de reserva mundial até seus mercados financeiros como melhor lugar para outros países entregarem suas duramente conseguidas poupanças”, afirma.

Continua após a publicidade
Publicidade