Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ford tem lucro de US$ 13,6 bi no 4º tri

No entanto, o resultado teve a ajuda de uma isenção fiscal extraordinária de 12,4 bilhões de dólares. Excluindo esse ganho, o lucro da Ford foi de 1,1 bilhão de dólares

A montadora norte-americana Ford informou nesta sexta-feira que teve lucro líquido de 13,6 bilhões de dólares (3,40 dólares por ação) no quarto trimestre de 2011, ante lucro de 190 milhões (0,05 por ação) no mesmo período do ano anterior. Esse foi o maior lucro trimestral na histórica da companhia, mas o resultado se deve a uma isenção fiscal extraordinária de 12,4 bilhões de dólares e excluindo esse ganho, o lucro da Ford foi de 1,1 bilhão (0,20 por ação).

Apesar do bom desempenho, o resultado no quarto trimestre foi prejudicado por uma desaceleração das vendas na Europa e perdas de produção em função das enchentes na Tailândia. Segundo a montadora, o prejuízo operacional antes de impostos no quarto trimestre subiu para 190 milhões de dólares, na comparação com o prejuízo de 51 milhões no mesmo período de 2010, causado pelo aumento nos gastos com matérias-primas e vendas menores.

Com esse balanço, a Ford se junta à crescente lista de montadoras norte-americanas que mostram como a crise da dívida na Europa está prejudicando a confiança do consumidor e a rentabilidade das empresas. A agência de classificação de risco Moody’s afirmou na última quinta-feira que as vendas de veículos novos devem cair 6,2% na Europa Ocidental este ano, com a maior retração na França. Em relação à Tailândia, a Ford afirmou que as enchentes no fim do ano passado diminuíram a produção em 34 mil veículos.

Isenção Fiscal – A isenção fiscal de 12,4 bilhões de dólares se deve a decisão da Ford de reverter uma provisão para perdas que fez contra ativos tributários adiados em 2006. Nesse período, a companhia passava por um período de quatro anos de prejuízo operacional, em meio à queda nas vendas de automóveis nos EUA. Segundo as regras de contabilidade, a Ford precisa remover a provisão uma vez que entrar no que parece ser um período de rentabilidade.

(Com Agência Estado)