Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

FMI eleva previsão de crescimento do país em 2011 para 4,5%. E alerta para risco de inflação e superaquecimento

Em relatório, fundo se diz preocupado com a situação dos países emergentes

O Fundo Monetário Internacional (FMI) projeta um crescimento de 4,5% para a economia brasileira em 2011. O dado faz parte do relatório Atualização das Perspectivas Econômicas Mundiais, divulgado nesta terça-feira. No relatório anterior, divulgado em outubro, o FMI previa uma menor expansão do Produto Interno Bruto (PIB) do país, de 4,1%.

Para 2012, a projeção do FMI para a expansão da economia brasileira foi mantida em 4,1%, de acordo com o relatório. O documento traz ainda as perspectivas do fundo para a América Latina. O FMI espera que o PIB da região apresente crescimento de 4,3% neste ano – 0,3% a mais do que o esperado no relatório anterior.

Leia também:

Leia também: FMI revisa para cima projeção de crescimento global

Acervo Digital VEJA: Inflação, um dragão que o Brasil luta para manter adormecido

Segundo o FMI, algumas dessas economias superaram rapidamente a crise e registram superávits em conta corrente, mas ainda assim suas taxas de câmbio reais seguem próximas aos níveis de antes da crise. “Ou seja, a resposta aos renovados fluxos de capital foi acumular mais reservas estrangeiras”, destaca o documento. Na opinião do FMI, a resposta apropriada para evitar um possível aquecimento das economias inclui permitir uma apreciação das moedas.

A instituição, que recentemente manifestou apoio às medidas de controles do fluxo de capital do Brasil, explica que “a necessidade de políticas macroprudenciais também é muito relevante para as economias de mercados emergentes cuja capacidade de absorção dos fluxos de capital é limitada”.

O fundo ressalta que as autoridades financeiras não devem baixar a guarda. “Até o momento, as bolhas de preços dos ativos e o auge de crédito parecem estar limitados a alguns setores de alguns países”.

(Com agências Estado, France-Presse e EFE)