Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

FHC afirma que reforma da Previdência é importante ao país

Para ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, além da reforma, próximo governo precisa dar continuidade a agenda de mudanças

A reforma da Previdência é importante, mas sozinha não tem força suficiente para garantir a retomada do crescimento econômico de forma sustentada, que virá também com mais atuação de parceiras público-privadas, afirmou à Reuters o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

E esse passo, acrescentou, dependerá de uma certa “continuidade” do que está sendo feito hoje, referindo-se ao próximo governo que sairá das urnas em 2018.

“Houve a invenção de que ou se faz a [reforma da] Previdência ou o Brasil acabou”, afirmou Fernando Henrique, que comandou o Brasil de 1995 a 2002 e é um dos fundadores do PSDB.

A reforma da Previdência, que está sendo analisada pelo Congresso Nacional, tem sido apontada pelo governo Michel Temer e por boa parte dos agentes econômicos como essencial para colocar as contas públicas em ordem e fazer a economia voltar a crescer depois de dois anos de recessão.

O ex-presidente defendeu que a reforma é importante para melhorar o lado fiscal do país e a “confiabilidade” dos investidores junto ao Brasil, e acrescentou que o governo Temer o tem surpreendido positivamente por conseguir colocar temas importantes na pauta. Mas logo emendou que é preciso mais, como parcerias com o setor privado, e investimentos em infraestrutura.

“Eu creio que o governo atual sabe disso”, afirmou. “(Mas) é óbvio que um governo que tem essa origem (após o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, sem voto popular), não tem força suficiente para fazer tudo que é necessário. Vamos precisar de uma eleição. Espero que seja possível até o ano que vem organizar as forças políticas.”

A retomada, pontuou o ex-presidente, também depende “de fatores que são controláveis e não controláveis”, e ressaltou que a economia mundial vive um ciclo de expansão, o que ajuda o Brasil a se recuperar. Também defendeu que estão vindo sinais positivos no agronegócio.

“A safra deste ano vai ser de 220 milhões de toneladas. Quando eu era presidente, nós comemoramos quando chegamos a 100 milhões de toneladas”, afirmou.

O ex-presidente também enxerga uma via de crescimento econômico por meio dos investimentos em infraestrutura, mas isso só deve se confirmar se os investidores confiarem na economia brasileira.

Agenda de reformas

Fernando Henrique, que também foi ministro da Fazenda durante o governo de Itamar Franco e ajudou a implementar o plano Real, disse que o governo Temer tem falhado na comunicação sobre as reformas. No caso da Previdência, acredita que a equipe econômica deveria ter encampado as mudanças como forma de reduzir privilégios, e não para melhorar o equilíbrio fiscal.

“As pessoas estão convencidas de que a reforma da Previdência é contra os trabalhadores”, afirmou. “Quando você dá como motivação o equilíbrio fiscal, a comunicação está errada.”

O tucano também elogiou a reforma trabalhista, sobretudo com o fim do imposto sindical, “uma medida tomada inspirada no governo fascista da Itália”.

“O governo Temer mexeu em pontos difíceis que não dão popularidade, mas que levam o país a se aparelhar melhor para o mundo contemporâneo”, afirmou.

Questionado ainda se sua própria história poderia se repetir agora, com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, tornando-se presidente da República, avaliou ser muito difícil. Argumentou que, quando era ministro, a população sentiu “na hora” o bônus da estabilização da moeda.

“Agora, se tem caminho de sacrifício e não é um caminho de bonança”, afirmou. “É difícil quem exerce o cargo de ministro da Fazenda se transformar em um candidato popular.”

(Com Reuters)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. ESSE AÍ É UM SEM VERGONHA BOM VIVANT MARXISTA PARASITA, SOCIÓLOGO METIDO A FUMADOR DA ERVA DO CAPETA!!! FAKE, NÃO PRESTA PRA NADA!!!

    Curtir

  2. Artur Britto

    Esse véio esquerdista que está com o nome na Lava Jato, pois levou milhões em propina e tem apartamento em Paris. Esse é filho de general e ficou rico ao sair do governo. Agora defende os maconheiros. Esse crápula que vá dar conselhos para o capeta.

    Curtir

  3. Agrimaldo Poliszuk

    É Lamentável !! FHC não é exemplo para nada.Deveria se aposentar e sair da vida publica.Nunca ajudou os trabalhadores ex. Fator previdenciário !!! agora o PSDB apoia este roubo ao trabalhador comum e beneficia os de sempre: militares, politicos corruptos.Deixe estar 2018 ninguém vota nesta sigla que se vendem por cargos e beneficios sacrificando o povo brasileiro.Vamos lembrar disto sr.FHC,srs candidatos a cargos pelo PSDB e também do PMDB. Aguardem !!!!

    Curtir

  4. Miguel Dias Gonçalves

    FHC + LULA faliram o BRASIL

    Curtir

  5. Esse é outro canalha cheio de aposentadorias que não sossega enquanto não levar a população para a escravidão e miséria.

    Curtir

  6. ADRIANOVIAJANTE007

    O governo deste cidadão foi repleto de medidas anti trabalhador. Foi o primeiro a atacar os direitos sociais. Quando este partir vamos ficar felizes como na Inglaterra quando se foi Margaerth Tacher.

    Curtir

  7. Amilcar Carvalho

    Cada dia que passa fico mais impressionado com a inteligência e capacidade
    de FHC descobrir a pólvora e que a roda é redonda. Fantástico!

    Curtir

  8. Paulo Bandarra

    Veja os nomes dos ministros da previdência desde que Lula assumiu para ver o completo descaso com a pasta.

    Curtir

  9. Marcos Cohen

    O título da matéria não corresponde ao conteúdo, que na verdade tece críticas ao governo Temer, sua falta de legitimidade, e a reforma da previdência, entre outras coisas. Polidamente diz que este governo é incompetente e que precisamos de eleições.

    Curtir

  10. Há duzentos anos a maioria das pessoas jamais imaginaria que algo com quinhentas toneladas voaria pelos céus, assim como nunca existiria, em uma tacada só, mais de quinhentas toneladas de políticos e componentes do Judiciário desprovidos do caráter em um pequeno espaço de tempo dentro de apenas quarenta anos. São poucos entre esses homens que possuíram e possuem a dignidade de honrarem o compromisso de conduzir com galhardia a nossa grande nação. Todos esses homens, sem exceção, são possuidores de várias personalidades e cada qual aparece na hora certa para engrandecer, e por outro lado, menosprezar e também para julgar aquilo que não tiveram capacidade de fazer em seu próprio tempo de comando.

    Curtir