Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

FGV: Educação puxa inflação pelo IPC-S

Por Da Redação 8 fev 2012, 07h39

Por Fabrício de Castro

São Paulo – O principal responsável pelo IPC-S da primeira prévia de janeiro (alta de 0,46%) foi o grupo Educação, Leitura e Recreação, que registrou alta de preços de 2,72%, contribuindo com 0,21 ponto porcentual para a formação do resultado geral. Na divulgação anterior do IPC-S, o grupo havia subido 4,90%.

De acordo com a FGV, dentro de Educação, Leitura e Recreação, o item cursos formais (de 8,16% para 5,37%), apesar da desaceleração, ainda é influenciado pelo aumento das mensalidades escolares verificado nomes de janeiro.

Transportes (de 0,86% para 0,46%), Habitação (de 0,33% para 0,27%), Alimentação (de 0,47% para 0,24%) e Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,44% para 0,33%) também registraram desaceleração em suas taxas de inflação, do fim de janeiro para a primeira prévia de fevereiro. Nestes casos, as principais influências positivas foram, respectivamente, de tarifa de ônibus urbano (2,47%), aluguel residencial (0,61%), refeição em bares e restaurantes (0,37%) e salão de beleza (0,94%). O grupo Vestuário, por sua vez, aprofundou a deflação (de -0,35% para -0,53%).

A classe Despesas Diversas foi a única que apontou aceleração de preços no período, de 0,46% para 0,57%, ainda sobre a influência do reajuste do item cartório, de 4,93%.

No IPC-S divulgado hoje, feito sob a nova estrutura de ponderação estimada a partir da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) 2008/2009, realizada pelo IBGE, a novidade é o grupo Comunicação, que apresentou alta de 0,38% na primeira prévia de fevereiro.

Continua após a publicidade
Publicidade