Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Exportação brasileira de veículos tem queda de 31% em maio

Crise na Argentina, principal destino das vendas externas do Brasil, causa recuo; no acumulado do ano, retração é de 42% em relação a igual período de 2018

A exportação de veículos, em unidades, caiu 30,7% em maio em comparação ao mesmo mês do ano passado, segundo balanço divulgado nesta quinta-feira, 6, pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Foram 42,1 mil unidades vendidas ao exterior no mês passado, em soma que considera os segmentos de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. O volume, se comparado a abril, representa alta de 20,7%.

No acumulado do ano, as montadoras instaladas no Brasil venderam para outros países 181,6 mil veículos, o que representa uma retração de 42,2% em comparação a igual período do ano passado. O principal motivo para o tombo é a crise da Argentina, historicamente o principal destino das exportações brasileiras de veículos.

Em valores, as montadoras faturaram com as exportações 651,3 milhões de dólares em maio, queda de 38,3% sobre a receita de maio do ano passado, mas alta de 17,9% ante o faturamento de abril. No acumulado, as vendas ao mercado externo somaram 2,9 bilhões de dólares, recuo de 46,4% em relação a igual intervalo do ano passado.

Já a produção de veículos cresceu 29,9% em maio ante igual mês do ano passado. Foram 275,7 mil unidades produzidas no mês. É o maior volume para o mês desde 2014, quando a produção chegou a 281,3 mil unidades. Boa parte do crescimento é explicada pela greve dos caminhoneiros do ano passado, que ocorreu na segunda quinzena de maio. À época, o bloqueio das estradas obrigou todas as montadoras a interromper suas produções por alguns dias.

Em relação a abril, a produção do mês passado também teve alta, porém menos expressiva, de 3,1%. No acumulado de janeiro a maio, as montadoras somam 1,241 milhão de veículos produzidos, expansão de 5,3% em relação a igual período de 2018.

Emprego

Apesar do aumento na produção, as fabricantes eliminaram 146 vagas de emprego em maio. Em 12 meses, o saldo também é negativo, com o fechamento de 2.357 postos de trabalho. O setor terminou o mês passado com 130.008 funcionários, queda de 1,8% na comparação com o resultado de igual período do ano passado.

Nas vendas ao mercado interno, o balanço da Anfavea confirma números divulgados na segunda-feira pela Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Os emplacamentos cresceram 21,6% em maio ante igual mês passado, para 245,4 mil unidades. Em relação a abril, houve alta de 5,8%. No acumulado, foram 1,085 milhão de unidades vendidas, aumento de 12,5% sobre o resultado de igual período do ano passado.

(Com Estadão Conteúdo)