Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

EUA têm superávit orçamentário de US$ 53,2 bi em dezembro

O número ressalta a tendência de melhora das contas públicas nos EUA, e reflete os maiores pagamentos realizados pelos gigantes hipotecários naturalizados Fannie Mae e Freddie Mac ao Tesouro

O governo dos Estados Unidos registrou um superávit orçamentário em dezembro de 53,2 bilhões de dólares – o primeiro no mês de dezembro desde o ano fiscal de 2007, informou nesta segunda-feira o Departamento do Tesouro.

O número ressalta a tendência de melhora das contas públicas nos EUA, e reflete os maiores pagamentos realizados pelos gigantes hipotecários naturalizados Fannie Mae e Freddie Mac ao Tesouro, além da queda na taxa de desemprego.

Os ingressos em dezembro foram de 283,2 bilhões de dólares, acima dos 269,5 bilhões de dólares de dezembro de 2012. Por sua parte, as despesas desceram até os 230 bilhões de dólares, comparados com os 270,7 bilhões de dólares de dezembro do ano passado. Em dezembro 2012, o governo americano registrou um déficit de 1,19 bilhão de dólares.

Leia também:

Criação de empregos nos EUA em dezembro é a mais fraca em 3 anos

Obama escolhe ex-presidente do BC israelense como vice de Yellen no Fed

Em ata, Fed defende cautela para novas reduções dos estímulos

Nos três primeiros meses do ano fiscal 2014, que começou em outubro, os Estados Unidos reduziram seu déficit fiscal em 41% em relação ao primeiro trimestre de 2013, ao passar de 293,3 bilhões de dólares para 173,6 bilhões de dólares.

O déficit fiscal dos EUA fechou 2013 em 680 bilhões de dólares , o mais baixo em cinco anos e o primeiro abaixo do trilhão de dólares desde a chegada à Casa Branca do presidente Barack Obama.

As batalhas fiscais no Congresso diminuíram levemente depois que se alcançasse em dezembro um acordo entre republicanos e democratas para garantir fundos para a administração federal até 2015.

No entanto, no próximo mês de fevereiro voltará a alcançar-se o teto de endividamento autorizado, motivo pelo que deverão estabelecer um novo aumento deste teto se querem evitar novamente o fantasma da moratória.

(Com EFE)