Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

EUA enfrentam votação crucial para sanar crise da dívida

Câmara vota proposta do republicano John Boehner, que enfrenta resistência democrata. Sem acordo, impasse se arrastaria até a data-limite para o calote

Por Da Redação 28 jul 2011, 08h56

contagem regressiva para o estouro do teto da dívida americana
contagem regressiva para o estouro do teto da dívida americana VEJA

O Congresso dos Estados Unidos terá pela frente um dia de muita tensão. Nesta quinta-feira, será travado na Câmara dos Deputados um novo embate em torno do aumento do teto da dívida pública do país. Se não houver um acordo sobre o tema até a próxima terça-feira, o Tesouro americano terá de suspender pagamentos federais. A votação desta quinta é, portanto, considerada crucial para a solução da crise. Os deputados americanos vão analisar o plano proposto pelo presidente da Casa, o republicano John Boehner. A expectativa é que a proposta enfrente a resistência dos democratas. O partido de oposição, porém, é maioria na Câmara – e deve somar 240 votos, dos 433 possíveis, para sua proposta.

Um entendimento entre os deputados republicanos e democratas é crucial nesta quinta porque, se for aprovado na Casa um plano que desagrade o partido do governo, a proposta poderá ser barrada no Senado, onde os democratas são maioria. Desta forma, a discussão seria arrastada perigosamente para o prazo-limite de 2 de agosto – dia em que os Estados Unidos poderão declarar um calote de sua dívida.

Além da oposição da bancada, a proposta de Boehner enfrenta a ameaça de veto do presidente americano, Barack Obama. O aumento do teto da dívida em apenas 1 trilhão de dólares seria suficiente apenas até o final deste ano. A intenção de Boehner é ampliar os cortes nos gastos públicos, originalmente de apenas 850 bilhões de dólares, para pelo menos 1,2 trilhão nos próximos dez anos.

O republicano chegou a desistir de apresentar seu texto ao plenário na quarta-feira para mudá-lo ao gosto da ala mais radical do partido. A iniciativa permitiria ao republicano recuperar o apoio de colegas que, na terça-feira, o abandonaram. Para tentar sufocar a dissidência republicana, Boehner reuniu-se nesta quarta com os seus colegas e pediu um esforço conjunto do partido.

A Casa Branca apoia abertamente a proposta do senador democrata Harry Reid, que prevê o aumento de 2,4 trilhões de dólares no teto da dívida, um valor suficiente para o governo Obama atravessar o ano eleitoral de 2012 sem os atuais riscos.

Propostas de republicanos e democratas para redução do déficit no longo prazo e elevação do teto da dívida
Propostas de republicanos e democratas para redução do déficit no longo prazo e elevação do teto da dívida VEJA
Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)