Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Energia elétrica tem a maior alta desde 2003, diz IBGE

Reajustes nas contas de luz e elevação de impostos contribuíram para o aumento de 3,71% no IPCA de maio

A alta de 3,71% da energia elétrica no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de maio foi a mais intensa para o item desde maio de 2003, quando subiu 6,45%. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com o resultado, a tarifa de energia elétrica contribuiu sozinha com 0,1 ponto porcentual da alta de 0,46% observada no mês passado.

Leia também:

Inflação desacelera em maio para 0,46%

Falta de luz rendeu R$ 346 milhões aos consumidores em 2013

Em abril, as tarifas de energia elétrica haviam subido 1,62%, mas a alta se intensificou devido a impactos de reajustes em diversas regiões metropolitanas do país. As elevações foram de 16,65% no Recife, 12,96% em Fortaleza, 12,82% em Salvador, 10,27% em Campo Grande, 5,05% em Porto Alegre e 4,37% em Belo Horizonte. Além disso, Rio de Janeiro e Belém, assim como Campo Grande, foram afetadas por aumento de impostos (PIS/Cofins) incidentes sobre a tarifa de energia elétrica residencial.

Leia ainda:

Aneel diz que faltará dinheiro para cobrir gastos de distribuidoras

Distribuidoras receberão mais R$ 2,2 bilhões em junho

“Foi o principal impacto do mês de maio, com reajustes em várias regiões, e foram altas relativamente fortes. Algumas também tiveram aumentos pesados nos impostos”, afirmou a coordenadora de Índices de Preços do IBGE, Eulina Nunes dos Santos.

(com Estadão Conteúdo)