Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Empresas e monumentos vão apagar as luzes neste sábado

Ação acontece no sábado e, durante uma hora, luzes ficarão apagadas para chamar a atenção no combate às mudanças climáticas

Milhares de cidades do mundo inteiro vão apagar as luzes de monumentos históricos, prédios públicos e outros locais famosos em apoio à Hora do Planeta. A ação, que acontece neste sábado, 24, visa chamar a atenção para as mudanças climáticasPara participar, a organização pede que a pessoa ou a empresa faça um cadastro diretamente no site.

No Brasil, por 60 minutos, entre 20h30 e 21h30, a fonte multimídia do parque Ibirapuera, em São Paulo, o Cristo Redentor, o Pão de Açúcar e o Bondinho, no Rio de Janeiro, o prédio da Câmara dos Deputados, em Brasília e outros tantos monumentos já confirmaram a participação.

Em Manaus (AM), vai acontecer um evento na lagoa senador Arthur Virgílio Filho; no Recife (PE), a Orquestra Sinfônica local se apresentará no cais do Imperador; em Fernando de Noronha (PE), uma ação limpeza de praia e de conscientização à geração de lixo na parte da manhã com caminhada com observação das estrelas à noite, entre outros.

Às margens da rodovia Castello Branco, o edifício onde funciona a Cielo apagará as luzes no sábado. Esta é a sétima participação da empresa no evento. “Apoiamos ações que contribuam para a conservação do ambiente. O engajamento em iniciativas como essa faz parte de nossa estratégia de sustentabilidade. A frente climática está centrada em quatro eixos principais – avaliação dos impactos, redução das emissões, compensação das emissões de gases de efeito estufa não evitadas e articulação e compromisso com a transparência – e temos como objetivo nos manter na vanguarda da promoção das melhores práticas de desenvolvimento sustentável”, diz Gleice Donini, gerente de sustentabilidade da empresa.

O McDonald’s participa pelo décimo ano da ação. Em todos os restaurantes do país os luminosos externos serão apagados, reforçando “o compromisso da marca com iniciativas voltadas para o desenvolvimento sustentável”. A rede de fast-food diz que como parte de seu compromisso com o ambiente está a adoção de iluminação LED, que desde 2016 ajuda a reduzir 60% do consumo de energia, além do projeto que economiza cerca de 700 litros de água por dia em cada unidade, diminuição do uso do ar-condicionado, entre outras ações.

“Buscamos trazer soluções simples, porém eficazes. Queremos mostrar que a sustentabilidade não é algo difícil de ser aplicada – com pequenas ações, como a reutilização de água, ou redução do consumo de energia, conseguimos conquistar números impressionantes e fazer a diferença para o planeta”, afirma Leonardo Lima, diretor de Sustentabilidade da Arcos Dorados, empresa que opera os restaurantes McDonald’s em 20 países da América Latina.

Além do Brasil, outros países da América Latina onde a marca está presente também participarão, apagando mais de 2.000 luminosos neste período.

Como começou

Segundo a WWF-Brasil, ONG de conservação da natureza, o movimento começou em 2007, na Austrália, e desde 2009 é replicado no Brasil. Acontece num dos últimos sábados de março com o intuito de promover a preocupação com o ambiente. Em 2017, 187 países e mais de 3.000 monumentos aderiram ao movimento.

“As cidades ou empresas começam na Hora do Planeta desligando as luzes e, nos anos seguintes, já querem fazer um pouco mais, como uma caminhada ou uma feira voltada para a sustentabilidade”, explica o diretor-executivo do WWF-Brasil, Mauricio Voivodic.